Carne de frango tem ou não tem hormônios??

19/10/2009 at 15:28 76 comentários


No supermercado uma vez ou outra nos deparamos com a seguinte frase nas embalagens de alguns frangos congelados “Não contém hormônio”. Muitas vezes pagamos mais caro só para ter a certeza de que não estamos levando para casa algum produto nocivo à saúde.

Na verdade, as informações espalhadas por alguns produtores e até pela mídia nem sempre são tão claras e podem contribuir para um alarme desnecessário. Pelo menos é o que dizem os especialistas do setor.

De acordo com Sulivan Pereira Alves, Coordenadora técnica da ABEF – Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos, estas empresas muitas vezes tiram proveito da falta de conhecimento dos consumidores. “Nenhum frango,  convencional ou orgânico, recebe hormônios em sua criação e a ABEF não concorda com esse tipo de anúncio.”

Carne de frango não possui hormônios e, entre  outras razões está a inviabilidade. Segundo dados da própria ABEF somente no ano passado foram produzidos no país cerca de 5,2 bilhões de frangos e os hormônios para produzir o efeito de crescimento deveria ser administrado diariamente. Logo, a prática seria dispendiosa e não promoveria o resultado desejado.

De acordo com matéria publicada na  revista Terra Brasil  de nº 3 e com a Assessoria de Imprensa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, quem também desmistifica a aplicação de hormônios exógenos em frangos é o veterinário Leandro Feijó, da Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SDA/Mapa). “O tempo de vida do animal até o abate inviabiliza qualquer tentativa de utilização de hormônios nesta espécie, assim como  o tempo suficiente para a sua atuação no organismo”, defende.

Feijó coordena o Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes (PNCRC), que monitora, continuamente, a presença de medicamentos veterinários de uso proibido no País em carnes, incluindo hormônios. Ele explica que, nos últimos quatro anos, foram realizadas mais de 2,8 mil análises em frangos e atesta: “a partir dos resultados obtidos, a conclusão é de que não há indícios da utilização dessas substâncias nas carnes de aves consumidas pela população brasileira e exportada a mais de cem países”.

Outra questão, apontada pela técnica da ABEF, seria a legislação. A Instrução Normativa nº 17, de 18 de junho de 2004 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA proíbe o uso de substâncias estimulantes do crescimento. “Mesmo que alguma indústria avícola tentasse fazer uso, burlando as leis estabelecidas, não obteria êxito, pois é completamente impraticável sob o ponto de vista econômico e não sobreviria aos procedimentos de fiscalização hoje existentes”, esclarece.

A carne de frango, devido a características como praticidade na compra e no preparo, tem uma grande representatividade no mercado mundial. No Brasil a produção de pintos de corte equivale cerca de 12% da produção mundial e coloca o país como o principal produtor do mundo no setor.  Por esta razão, Sulivan afirma que a indústria brasileira não poderia correr o risco de “ter seu produto condenado”.

Mais um motivo de dúvidas entre os consumidores é a utilização de antibióticos que, normalmente incorporados às rações dos animais, poderiam com o tempo provocar a resistência no corpo humano a determinados medicamentos. Mas, estas afirmações também seriam exageradas pois, embora a utilização de antibióticos para melhora de desempenho ou com objetivo terapêutico  sejam permitidos, existem regras rígidas a serem seguidas pelo o setor. Além da forte fiscalização realizada pelo MAPA.

Sulivan afirma que o Brasil segue fielmente as normas do Codex Alimentarius – órgão criado pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e alimentação) e pela Organização Mundial de Saúde para desenvolver normas alimentares -  orientações e textos relacionados, tais como códigos de boas práticas. E, no que diz respeito à utilização de substâncias na produção, determina o Limite Máximo de Resíduos que podem estar presentes em 1Kg de alimento  a fim de que não produzam efeito tóxico.

Segundo a Assessoria de imprensa do MAPA, Os resultados do monitoramento no Programa de Controle de Resíduos e Contaminantes em carnes de aves, bovinos, suínos e eqüinos, leite, ovos, mel e pescado, em 2008, segundo Feijó do MAPA, podem ser considerados satisfatórios. “No entanto, demonstram a necessidade de vigilância contínua para mitigar o risco de violações que foram detectadas”, alerta.

Das 19.211 análises concluídas, 99,85% não apresentaram resíduos de medicamentos veterinários ou contaminantes acima dos limites estabelecidos. Destaque para mel, camarão de cultivo e pescado de cultivo, que não apresentaram nenhuma irregularidade no ano passado.

O Programa para aves também alcançou percentual positivo, no último ano. Das 8.209 análises concluídas, apenas cinco, ou 0,06%, apresentaram resíduos.

Ricardo Santin, Diretor Executivo da associação, assegura que o mito ainda não prejudica o comércio das aves, mas preocupa o setor.

“No entanto, nos preocupamos que esse tipo de informação continue sendo veiculada e no futuro atrapalhe não somente quem comercializa o frango, mas quem deixa de comprá-lo devido a esse equívoco, prejudicando uma cadeia que gera mais de 250 mil empregos diretos e 4 milhões indireto. Aí seriam dois setores prejudicados: o comercial, que deixa de vender e o consumidor, que deixaria de adquirir um produto de excelente qualidade nutricional e de preço acessível a todos.” , completa Ricardo Satin.

About these ads

Entry filed under: Orientações de Consumo. Tags: , , , .

Diet ou light? Renovação e Matrículas em Escolas Particulares

76 Comentários Add your own

  • 1. Gian  |  19/10/2009 às 20:54

    Embora esta matéria seja extremamente oportuna e útil. Também apesar de ser altamente convincente de que os frangos comercializados no Brasil estejam dentro dos rígidos padrões de qualidade;
    EU DUVIDO QUE OS PRODUTORES SIGAM AS NORMAS E A FISCALIZAÇÃO QUE, NA MAIORIA DAS VEZES, É FALHA OU SEGUE O “JEITINHO BRASILEIRO”.

    Responder
    • 2. Willian  |  17/01/2011 às 17:35

      Então, já q vc não acredita na informação passada por quem “perdeu” tempo estudando e se especializando por 6, 7, 10, 20 anos, e trabalha diretamente com isto 24 h por dia, sim, pq veterinário de empresas como a Sadia, Perdigão e etc.. tem de permanecer alerta 24 h por dia. Pode ter certeza q o esquema de criação e combate à microrganismos é mais competente do que a limpeza da sua casa, então acredite no único argumento q funciona num país capitalista e pra pessoas como vc: não dá LUCRO, o gasto com hormônios diminuiria DRASTICAMENTE o LUCRO das empresas, fora, que, os nossos frangos e carnes são EXPORTADOS e países de 1° mundo NÃO COMPRAM carne de frango ou boi de países q utilizam hormônios, quer na carne q é exportada, quer na carne q é consumida internamente. Agora, o que é preciso, é informação! Já q se dá ao luxo de ter um computador com internet em casa, vai pesquisar, se informar pq entrar na internet só pra ficar vendo a fofoca da novela e espalhando lendas por aí, não dá, né?! E aliás, isto serve pro ELMO tb, que escreveu logo abaixo! Opinião deve ser dada qdo vc conhece o assunto em questão e não o q se acha, ou o q a D. Candinha disse, certo?

      Responder
      • 3. Elisa  |  09/06/2011 às 20:19

        Olha, nem conheço a coitada da pessoa que escreveu incrédula, mas acho que todos têm o direito de expressar sua opinião e não entendo porque o colega ficou tão chateado…existem vários saites dizendo horrores, que meninas ficariam mocinhas mais depressa, que uma mulher ao comer uma dieta de frango durante a gestação a filha iniciou a menstruação aos 3 meses e que meninos criaram seios…e isso não foi qualquer pessoa que escreveu, foram MÉDICOS. Como mãe de um garoto que só come frango há 9 anos, ouvi o pediatra afirmar que seus seios cresceriam devido a quantidade de hormônio. é lógico que fiquei preocupada, e resolvi pesquisar. Mas acho que os ” doutores” que aqui se manifestaram deveriam ter mais educação ao responder, pois agindo com tanta grosseria, me leva a pensar se realmente fez alguma faculdade, pois espera-se dessas pessoas que se sentem taaaaaão cultas, saibam respeitar a opinião alheia. Se tivesse apenas esclarecido as dúvidas, teria demonstrado que os anos na facul serviu de alguma coisa. com tanta ignorância na forma de expressar, dá até para pensar que está recebendo uma comissãozinha extra, kkkkkk

      • 4. gabriel  |  17/12/2011 às 23:43

        NO EXTERIOR EXISTE LEI QUE PROÍBE O USO DO HORMÔNIO PORTANTO O BRASIL VENDE PRO EXTERIOR SEGUINDO A LEI.
        Ja no mercado brasileiro foi comprovado que ha o uso de hormônios , chamados de ATIVADOR DE CRESCIMENTO para satisfazer os interesses do mercado. QUEM QUER QUE CONSUMA MUITA CARNE TERA PROBLEMAS HORMONAIS.
        ESSE COLEGA CHATEADO TALVES A SEJA VITIMA DO HORMONIO PELO SEU HUMOR.

      • 5. Herbert  |  20/01/2012 às 18:07

        É verdade Willian. Quanta ignorância!

      • 6. Thaís  |  06/12/2012 às 10:08

        Não vejo resposta melhor que a do Willian. Essa questão é uma coisa que realmente me tira do sério.Sou aluna da UFF, estou no sétimo período de Medicina Veterinária, mas já tive que aturar muitos amigos meus discutindo comigo pq conhecem alguém que trabalha em um mercado qualquer e a pessoa garantiu que os fornecedores usam hormônio…Ter que estudar tanto e ainda ter que ter paciência com um ignorante desses que ainda teima com você, depois de você mostrar tudo que você já estudou sobre o assunto, é demais pra mim…E ainda temos que escutar q nós que estamos errados no final da história..

      • 7. Andre  |  24/11/2013 às 21:33

        Entao todo esse tempo de estudo nao serviu para nada.O que dizer sobre uma pessoa,que come carne de frango desde criança e a cerca de 3,4 anos começou a passar mal e justamente toda vez que comia carne desses frangos de supermercado que vem embalado.Ja meu usei como cobaia,comi por uma semana carne de frango de mercado e passava mal todos os dias,com tonturas e vomitos,quando comia carne de frango caipira,”solto na natureza” nunca me deu nada!! Se tem hormonios,nao posso provar,mas que tem alguma substancia esses frangos de granja que me faz passar mal ao consumir,tem sim!

    • 8. pedrp  |  11/01/2012 às 9:37

      E muito serio quando se trata de saude humana, voce esta certo a praga do “jeitinho” esta enraizada, na verdade devia qualificar de irresponsabilidade e impunidade a moda brasileira.
      Alguma coisa errada entre o tempo muito reduzido da vida da ave ate o momento do abate, A ANVISA NÃO É DIGNA DE CRÉDITO.
      o AÇUCAR REFINADO E UM ALIMENTO PARA MATAR PIOR DO QUE ANTIBIÓTICOS.
      PEDRO

      Responder
      • 9. Camila Silva  |  02/10/2013 às 14:58

        concordo plenamente

      • 10. Paola  |  26/02/2014 às 20:56

        “A Anvisa não é digna de crédito” Concordo, e muito! Anvisa só libera/proibe aquilo que lhe convém…

    • 11. Pamela  |  10/07/2012 às 16:00

      Olha fiz Zootecnia…conheço muitas granjas…e Não existe frango com hormônio…é caríssimo e inviavel para um produtor utilizar hormônio…além de que a maioria das granjas realizam exportações e a fiscalização é extremamente rígida.
      Isso é mania de brasileiro que desconfia de TUDO.

      Responder
    • 12. Anthytezes  |  12/11/2012 às 13:40

      É sabido que a fiscalização nesses assuntos é frouxa.Comprei
      frango e tirei minhas dúvidas,Coloquei p/a ferver e o que sentí
      fui om cheiro fortíssimos de rémedios,insurportável.Não comí.
      Foi feito o mesmo procedimento com frango Korin,e nada foi
      constatado.Esse sim é um frango saúdável p/a comermos,é cria
      do natural com outro tipo de cultura,sem a ganancia dos demais.
      empresarios do setor.É a ganancia que os levará o homem a
      ruina,pois não estão preocupados com a saude do povo.

      Responder
    • 13. ana  |  23/01/2014 às 10:32

      A questão vem sendo tão divulgada de forma errada, que levam as pessoas a pensar de maneira errada, e obviamente preferem acreditar num doutor sem doutorado rsrs, mas é preciso deixar claro que não existe o ” jeitinho” para a utilização de hormônios na produção de frangos de corte, a questão que mais me deixa chateada é ver uma empresa grande como a sadia, usar o tipo incorreto e totalmente contra os direitos do consumidor, quando anuncia em seus comerciais que seu frango não tem hormônios, a exemplo disso, tínhamos as empresas se óleo que afirmavam que os seu produto era livre de colesterol!! agora acrescentam em letrinhas pequenas: como todo produto de origem vegetal. Quando um médico diz isso todos acreditam… quando um profissional da área diz o contrário, nos chamam de ignorantes… é a cultura brasileira…

      Responder
      • 14. José Carlos de Oliveira  |  27/01/2014 às 21:28

        Independente de que se usam hormônio ou não, a questão é que esse animal, a galinha, teria um tempo de vida de 15 a 17 anos. No entanto mais que 98% delas vivem de 39 a 41 dias, gordinhas para o corte.. Para se ter uma ideia do que representa isso é só imaginarmos que se um bebe fosse alimentado no mesmo ritmo da galinha ele teria ao fim de 40 dias cerca de 150kg. Seria saudável? Há que se pensar se usando ou não hormônios isso é carne mesmo?
        Lembrar que a JBS mata por dia 12 milhões de frango e que frango fornece ao ser humano menos proteínas do que oferecemos para sua própria alimentação. Isso atende ao interesse de quem?
        José Carlos

  • 15. Bruno  |  20/10/2009 às 9:57

    Porque todos os “especialistas” ouvidos são diretamente interessados em vender o frango? Mesmo que seja a verdade, isso derruba completamente a credibilidade da informação.

    Responder
  • 16. Sinuhe  |  20/10/2009 às 16:52

    O veterinário Leandro Feijó é da Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SDA/Mapa).

    Ele representa o Ministério da Agricultura, entidade responsável pelo controle da produção nacional, cuja credibilidade não está ligada a interesses econômicos do setor produtivo.

    Este corrobora a informação passada pela Sra. Sulivan Alves, com argumentos claros.

    Eu, como Engenheiro Agrônomo, tenho a impressão de que há uma confusão pelo público leigo entre a utilização de antibióticos na alimentação animal e a administração de hormônios promotores de crescimento.

    Os antibióticos são sim utilizados, e seu prejuízo, não é direto a saúde humana, mas pode ser prejudicial, caso a administração abusiva venha a desenvolver linhagens de patógenos resistentes nocivos ao ser humano. E para isto existe controle de sua utilização.

    Quanto ao uso de hormônios:
    - Há legislação que proíbe o uso

    Caso esta não fosse seguida:
    - Não teria efeito significativo, pois o tempo necessário para sua ação é superior aos 20-40 dias de vida do frango.

    Se mesmo assim alguém quisesse aplicar:
    - O tratamento exigiria administração diária para um plantel de milhões de aves, que tornaria o processo inviável.

    E mesmo que fosse possível:
    - O custo de sua administração superaria em muito o lucro advindo do aumento da performance.

    E quando mexe no bolso…

    Responder
  • 17. AC  |  14/12/2009 às 22:42

    Hormônios em frangos.

    Responder
    • 18. Rogério Barroso  |  15/01/2010 às 19:59

      Sou Médico Veterinário, não vendo frangos e posso afirmar que no caso de frangos fiscalizados pelos Serviços de Inspeção seja em nível municipal, estadual ou federal não possuem hormônios.
      Este é só mais um motivo para que todos comprem carnes fiscalizadas.

      Responder
  • 19. rita de cassia f. morais  |  28/12/2009 às 12:06

    eu so preciso de ajuda gastei no cartão de credito um total do cartão agora quero pagar mais estão cobrando um juro abisurdo, eu posso pagar. por favor me ajude o que posso fazer isso não e commentario. preciso limpar meu nome me responda por favor

    Responder
  • 20. Oksana  |  23/02/2010 às 15:52

    Engraçado que uma carne é “certificada” quando não ultrapassa os “níveis permitidos”. O problema, na minha opinião, é que quem estabelece os níveis autorizados não são os consumidores, mas pessoas que dependem, ainda que indiretamente, do lucro proveniente da produção.
    Não se busca saber quais são, a médio e longo prazo, os efeitos dos antibióticos sobre a saúde humana – ainda que dentro dos níveis permitidos.
    Isso sem contar que a gente não sabe se o que está comprando veio justamente no lote em que foram apuradas irregularidades.
    Sinto-me tão tranquila como ao saber que a água da torneira não ultrapassa os níveis autorizados de cocô. Ufa.

    Responder
    • 21. Joana  |  16/03/2010 às 21:46

      Sou Médica Veterinária, trabalho numa grande integração com frangos de corte e sugiro aos leigos com relação ao processo de criação do frango, que vão estudar!!!
      Pois se não conhecem a cadeia produtiva, não tentem inventar “falsas verdades”.
      Conformem-se em não comer essa proteína de alto valor nutricional e baixo custo!

      Responder
      • 22. Elisa  |  05/12/2013 às 14:14

        Eu trabalho no setor e não como carne de frango.
        Nem para ganhar dinheiro.

    • 23. Oswaldo  |  30/12/2013 às 10:28

      Esses valores seguros são corroborados pela União Européia. Quanto ao “cocô” na água, coliformes existem até nas que são tiradas de minas, por isso se colocam limites aceitáveis. Frangos tem que ser tratados para não adoecerem, assim como bebês humanos e por isso existe o limite aceitável.

      Responder
  • 24. Cecilia  |  03/05/2010 às 16:40

    Médicos veterinários que aqui se apresentam para comentar e jurar de pés juntos que nossos franguinhos são próprios para o consumo humano por não conterem hormônios poderiam então nos explicar o porque dos frangos de pequenos produtores serem tão diferentes dos das grandes granjas, as verdadeira “fábricas de frangos”. E o que seria o tal do chester que praticamente só tem peito…! Se não são hormônios, que produtos estão a administrar nas penosas além dos antibióticos? Em nome da alta produtividade, laboratórios e a industria farmacêutica não medem esforços em criar “anabolizantes” ou substâncias mil deformando os animais.
    Depois contratam empresas publicitárias a querer nos convencer de que aqueles “produtos” (não são nem mais animais) são próprios para o consumo…. ora, faça-me o favor!

    Responder
    • 25. Patricia  |  19/03/2011 às 17:28

      Sou medica veterinaria trabalho com frangosde corte e genetica… vc deveria se informar antes de afirmar suas conclusões, Os frangos criados por grandes empresas vem por muitos muitos anos sendo modificados geneticamente os frangos caipiras não possuem genetica para ganharem peso em pouco tempo e nem em muito tempo por melhor q seja a sua ração…. se vc alimentar frangos comerciais com a mesma ração para frangos caipiras de mesma idade e abater no mesmo tempo os frangos caipiras não chegarão a alcaçar o mesmo peso eles serão mais leves…….. VC pode dizer muitas coisas a respeitos dos frangos….. que tem residuos de antibioticos……. falta de sanidade entre outras coisas , mas hormonio eu garanto que não tem!!!!!

      Responder
    • 26. Matheus Mezzomo  |  05/05/2011 às 23:38

      Cecilia, a utilização de hormônios é proibida para frangos de corte. Anos de estudo nas areas de genética e ambiência proporcionaram animais que convertem o que comem em carne de uma forma muito mais eficaz, sem falar na dieta perfeita, que não pode ser comparada com a dos frangos criados por pequenos produtores. Imagine uma pessoa que genéticamente é estimulada a comer, vive em um lugar estremamente agradavel, e favoravel a seu desenvolvimento com alimentos que vão estimular todo seu potencial genético. Bem é isso, é só se informar, gostaria de saber a sua graduação, e o que você acha da minha resposta, e se você consegue achar algum artigo cientico (aprovado) que prove o que você afirmou. Obrigado!!

      Responder
      • 27. Roberta  |  18/09/2013 às 14:52

        Ambiente extremamente agradável para o frango??? Que vivem confinados para não gastRem calorias a tôa… isso é agradável?? Essa eu não entendi…

      • 28. Roberta  |  18/09/2013 às 14:53

        *gastarem

    • 29. Herbert  |  20/01/2012 às 18:14

      A moça já ouviu falar em biotecnologia ?

      Responder
      • 30. Camila Carneiro  |  13/08/2012 às 11:07

        Acho que nem sabe por onde passa…infelizmente a falta de informação e cultura do povo brasileiro, ou sem generalizar, dos leigos neste assunto, chega a ser absurda. A gente estuda anos a fio detalhadamente todo o processo, toda a cadeia produtiva, faz pesquisas, publica resultados e ainda assim tem gente que chega aqui e põe em dúvida o que é dito pelas pessoas do ramo…é a mesma coisa que querer ensinar o padre a rezar…façam-me o favor…vão estudar mais sobre o assunto, artigos científicos é o que não faltam na internet!!! e gastem menos tempo no facebook!

      • 31. Rodrigo  |  30/09/2012 às 8:48

        sábias palavras, temos que assim como formiguinhas acabar com essas informações que degradam o setor agropecuario brasileiro, gente percebam, essas informações e tantas outras falsas são geradas por que o Brasil é uma potencia agricola, paises concorrentes por exemplo EUA, querem nos prejudicar para não atrapalhar seus negocios, por que somos eficiêntes somos fortes concorrentes, clima e solos favoraveis, gente que acredita no desenvolvimento do país, não podemos deixar isso acontecer… pessoas que não sabem nada divulga uma informação totalmente questionavel e desprovida de argumentos para sustentar tal tese do uso de hormonios, agradeços a voces que estão ajudando quem produz neste país, sou Eng. Agrônomo e me mordo de odio quando alguem diz besteiras do tipo.,

    • 32. Matheus Mezzomo  |  04/09/2012 às 22:04

      Genética Cecilia, ambiência, sanidade, e alimento a vontade e restrição de movimentos

      Responder
    • 33. Rodrigo  |  30/09/2012 às 8:39

      sua questão é pertinente, pequenos produtores trabalham com técnicas arcaicas e subdesenvolvidas, contudo granjas profissionais procuram eficiência em tudo, instalações, nutrição e o fator que elucida sua indagação,a genética, essa sim colabora muito pra a diferença de performance dos pequenos produtores e granjas profissionais, ou seja por que os frangos ficam prontos para abate tão cedo, genetica, com o melhoramento, selecionou os individuos superiores por isso a diferença nos resultados entre os pequenos e as granjas, espero que eu tenho te ajudado nessa questão, sou Engenheiro agrônomo, trabalho com nutrição animal, inclusive na faculdade nem ensinam a ministrar homonios comerciais, peço não creia nestes mitos, são inventados para atrapalhar a concorrencia entre grandes empresas, por exemplo a carne de frango é barata em relação a de bovino por exemplo, para o frigorifico de bovinos atrapalhar o comercio de frango com uma informação desta seria e é muito bom para os seus negocios, basicamente é lucrar com a desgraça alheia. cuidado com essas informações, gente leiga nem sabe nada e fica prejudicando os outros, a verdadeira mania de brasileiro é sempre repassar uma coisa ruin e não uma boa, inclusive te faço uma pergunta, voc~e sabia que a carne suina é considerada branca? espero que sua resposta seja sim, pois o mito sobre o frango vc defende pois ja te contaminaram vamos ver se vc ajuda o setor de suinos com essa informação.
      grande abraço querida, reforço que respondi para esclarecer não ofender e me opor a sua opinião ou hostiliza-la mas para te tirar das trevas da informação. grande abraço

      Responder
    • 34. Oswaldo  |  30/12/2013 às 10:32

      Já ouvi falar de 40 anos de pesquisa? De manejo? De melhoramento genético? Ou é muita informação para sua cabecinha? Não sou ligado a avícolas ou a medicina veterinária, mas mesmo para mim é complicado ter que aguentar esses caipiras. Faz o seguinte: cria o frango no seu quintal para consumo próprio ou compra o frango caipira que toma água suja de cocô nas excelentes propriedades rurais que criam essas aves tão boas.

      Responder
    • 35. ana  |  23/01/2014 às 10:39

      Genética, nutrição e sanidade! vai estudar antes de dizer asneiras!

      Responder
    • 36. Enrico Andrade  |  23/01/2014 às 11:01

      Caríssima Cecília, sou Zootecnista e posso te afirmar que não existem hormônios ou qualquer anabolizante na criação avícola. Existem 3 fatores principais que foram devidamente estudados para que o frango chegasse ao seu peso em tão pouco tempo e com muito mais carne no peito e coxas. A primeira é o Melhoramento Genético. Foram selecionados animais que produzissem mais carne no peito e nas coxas até que chegasse a esse ponto. O segundo ponto é que nada importaria essa seleção sem o devido aporte nutricional necessário, o balanceamento da dieta é essencial para que esses animais possam expressar suas características genéticas. O terceiro e último ponto e não menos importante é a ambiência animal, ou seja, criação nas melhores condições de bem estar. A união desses três fatores faz com que os animais tenham um rápido crescimento e maior produção de carne onde existe maior apelo do consumidor (PEITO e COXAS)

      Procure ler sobre o assunto e comprovará.

      Responder
  • 37. Livia  |  19/05/2010 às 1:10

    Sou zootecnista e trabalho em uma das maiores empresas de melhormento genético do Brasil, posso afirmar com certeza que não são ministrados hormonios aos frangos. Não acredito que somos fábricas de frangos como dizem, fico realmente impressionada com pessoas ignorantes, que acreditam tomar cocô na agua e que criticam um processo tão sério que é o da criaçào de aves de corte. O brasil é o maior exportador e hoje está entre os maiores produtores de carne de frango mundial. Se ao inéz de criticas as pessoas perdecem seu tempo estudando e se informando sobre o que consomem saberiam que cherster nada mais é que um frango melhorado, que grandes empresas dão ótmias rações balanceadas e de alta qualidade,bom manejo,profissionais qualificados cuidando das aves, ambiente de alto padrão,entre outros fatores, com ótimos niveis de bem estar animal, que as aves são selecionadas durante anos para crescimento e desenvolvimento adequado ao propósito de postura ou produção, etc.
    Agora é dificil tentar convencer pessoas que acreditam em qualquer porcaria que passa na televisão ou em novelas.
    É interessante ver que a propaganda do danone actvia garante melhora no fluxo intestinal,faz uma baita propaganda, mas todos os yogurtes produzidos contem os mesmos lactobacilus. (tipo de microorganismo). Dificil explicar,já que uma pessoa acha que coliformes é cocô não é?!!
    Vào estudar,vão se informar ignorantes..

    Responder
    • 38. Camila Silva  |  02/10/2013 às 15:17

      ” com ótimos niveis de bem estar animal”???? pode me explicar melhor isso?To passada…”as galinhas passam a vida inteira sem poder se locomover, pisando em fios de arame, sem descanso para os pés, com a luz acesa 24 horas por dia. Gado e porco ficam confinados sem possibilidades de andar e ver a luz do sol.Fora seus bicos cortados para que não possam selecionar grãos”
      aproveita e me explica sobre a origem da gripe aviária, acho que ela saiu destes hotéis de luxo que as galinhas “aperuadas” frequentam….
      Me parece que esse ambiente corporativo deixa o ser humano sem a mínima empatia pelos seus irmãos animais.

      Responder
  • 39. Elmo  |  27/09/2010 às 13:50

    Acho que as pessoas que deram suas opiniões a respeito dessa matéria deveriam ser tratadas com mais respeito, pois essa ultima pessoa que respondeu e deu sua versão, se diz inteligente e sai ofendendo e atirando em todo mundo! respeito meu chapa!

    Responder
  • 40. Matheus Mezzomo  |  05/05/2011 às 23:25

    Pessoal, sou Méd. Veterinário e posso afirmar que não são ministrados hormônios nas criações de frango de corte, isso é mito, quem quiser tirar suas duvidas pode acessar o site avisite.com, que tem todas as informações necessárias, para melhorar a visão sobre esse assunto. Pessoas desinformadas muitas vezes, que se dizem doutores, colocam para os leigos informações erradas, com o intuito de desvalorizar produtos, como no caso a carne de frango. O lema da avicultura moderna é Biossiguridade, e tecnologias muito mais avançadas que em criação de gado por exemplo. Mas o interressante é que ninguem se pergunta como um bovino em criações intensivas ganha peso tão rapidamente. É o mesmo principio, melhoramento genético, animais especializados em rendimento de carcaça. Pesquisem, leiam livros e tirem suas conclusões.

    Responder
  • 41. Fernando  |  12/07/2011 às 15:54

    Estou pesquisando tb sobre o assunto e encontrei este site. Procurando colaborar com a discussão, colo aqui trecho do site da folha online:

    “A inofensividade dos antibióticos não é unanimidade. “Ninguém pode dizer com segurança que não deixam resíduos. Exames não detectam moléculas inteiras dessas substâncias. Quimicamente, os resíduos teriam outra estrutura”, observa
    Luiz Carlos Demattê Filho, gerente de produção animal da Korin. A empresa, seguidora dos princípios da agricultura natural da Igreja Messiânica, não faz uso de antibióticos nas criações de frangos.

    Mesmo entre os criadores convencionais, a prática é suspender a inclusão dessas substâncias na ração nos sete dias
    que antecedem o abate. E, devido às restrições européias, os produtores brasileiros vêm diminuindo o uso delas por alternativas como extratos vegetais, probióticos e enzimas.”

    Ainda, surtos como do ecoli, na europa, que na realidade ainda não foram solucionados exigem cautela, assim como para produtos transgênicos. Pesa ainda as condições cruéis, para os defensores dos animais, em que todos eles (bois inclusive) são criados, os frangos aqui citados são induzidos por uma luz artificial 24h por dia, para estimular seu crescimento, as consequências de tal atrocidade sobre o organismo humano creio que ainda não foram estudadas.

    Coloco isto apenas como questão para se pensar, pois consultando nutricionistas, é praticamente unanimidade que o brasileiro médio como mais carne animal do que o necessário. Aqui fica uma sugestão de consulta com especialista, para analisar se a sua dieta realmente está equilibrada, se é possível substituir gradualmente as proteínas animais por outras (fica a questão de que a soja hj produzida em grande parte é transgênica, cujos efeitos ainda não são totalmente conhecidos). Enfim, cabe a cada um analisar e escolher o que entender correto,cite-se que uma dieta “mais” vegetariana, além de colaborar com a saúde humana, é mais sustentável globalmente. Não sou especialista na área, sou somente consumidor que busca informações e não acredita em tudo que é implantado na mídia visando lucro comercial (não estou dizendo que este seja o caso aqui). Abraços,

    Responder
  • 42. Doroti Cruz  |  09/08/2011 às 18:58

    Pessoal. O melhor mesmo é ser vegetariano e naturalista. Comer tudo do jeito que Deus nos ofereceu. Onde o homem interfere a porcaria está feita.
    Há tantos que se arvoram na defesa da ingesta de carnes seja de que tipo for como fonte saudavel de nutrição, o que não corresponde a verdade, porque, não obstante se preste à alimentação, traz junto todos os bichos que dão em bicho, além de tudo que se prestou para alimentar o bicho, ou mesmo para tratar o bicho.
    Assim quando os ingerimos, fazemos isso com tudo que serviu de alimento ou de tratamento para o animal até o dia em que foi “sacrificado”.
    Veja que além de ingerir coisas que não são para o homem, ainda pagamos pela responsabilidade das mortes a que damos causa.
    Se não tiver quem come, não haverá quem se sirva da indústria da morte como meio de vida.

    Responder
    • 43. Rodrigo  |  30/09/2012 às 8:50

      antibioticos são diferentes de hormônios ok?
      animais são produtivos pela genetica, nutrição e não por medicamentos, as granjas ja morrem para pagar pelo menos a ração quem dirá hormonios que são de sua unanimidade caros, ai sim a atividade se tornaria inviavel

      Responder
    • 44. Camila Silva  |  02/10/2013 às 15:22

      disse tudo!

      Responder
  • 45. Luiz Felipe M. Souza  |  24/08/2011 às 15:15

    Galera,

    isso de Hormonios na carne de frango é um mito. Essa ideia errada foi criada por pessoas que querem destruir a avicultura e a produção animal. Já vi muito vegetariano ou naturalistas fazendo essa campanha para arrebanhar pessoas. Não é assim que funciona, acho que pessoas que defendem esse erro ou são ignorantes ou são loucos.

    Existem orgãos de fiscalização que ficam em cima dos produtores e conferem tudo que são utilizados na produção, e caso houvesse, teria já sido banido.

    Além de que, muito desses nossos animais são exportados, e o mercado externo é muito muito exigente, não aceitando qualquer resquicio de hormonios na carne ou leite. E eles fazem exames periodos, caso encontrassem já teriam denunciado para que embargassem nosso frango.

    Nossas aves chegam aos 42 em ponto de abate devido ao melhoremanto genético que vem a anos trabalhando. A uma adequada nutrição, atendendo a todos os nutrientes necessários, e aliado ao manejo.

    Vlw, qualquer dúvida ou discurssão, é só falar.

    Luiz Felipe M. Souza
    Zootecnista
    luiz_felipe01@hotmail.com

    Responder
  • 46. Albertino Stan  |  05/10/2011 às 14:39

    Sou Empresário, moro em Vila Velha-ES, tenho uma fazenda de gado de corte e leiteiro na região de Poços de Caldas-MG. Possuo um sócio em outros negócios e este possui uma grande granja de frango. Pela granja dele afirmo com certeza que o segredo para o rápido desenvolvimento do frango se deve a 3 fatores: Manejo, nutrição e genética.
    A granja proporciona bem estar ao animal, oferecendo o ambiente ideal para o máximo desenvolvimento. A ração das aves possuem insumos que favorecem a ideal absorção das proteínas pelo organismo, além o fator mais importante que é a seleção de animais com ótima genética.
    Importante ressaltar que a utilização de hormônios é inviável pelos custos envolvidos.
    Nós empresários deste ramo percebemos que o bem estar animal, aliado à tecnologia têm se tornado itens essenciais para se manter competitivo no mercado.
    PS: Um rapaz aí em cima afirmou que o uso de antibióticos em aves é permitido não afirmou a realidade. Antibióticos em frangos é proibido.
    Abraços Fraternais

    Responder
  • 47. Marcio E.  |  24/10/2011 às 0:45

    Muito informativo o site, principalmente as discussões dos consumidores e profissionais. Minha noiva veio com uma conversa hoje de que um médico informou a um amigo dela que a causa do aumento da incidência de câncer na população é devido ao frango com hormônios. Depois de ler, ler e ler cheguei a conclusão que realmente não faz sentido. Vou continuar com meu franguinho e ter uma conversa séria com ela sobre isso. rsrsrsrsrsrsrs. Abs.

    Responder
    • 48. Camila Carneiro  |  13/08/2012 às 11:18

      Já ouvi dizer também que as meninas estão menstruando mais cedo devido aos hormônios nos frangos…pelo amor de Deus…onde vai parar isso???

      Responder
      • 49. Rodrigo  |  30/09/2012 às 8:51

        já ouviu dizer, resta saber se é mesmo verdade

  • 50. Assis Fagundes  |  24/10/2011 às 10:24

    Sendo o Brasil um dos maiores, senão o maior produtor de frangos do mundo, acredito que a fiscalizaçao nestes paises deva ser muito rigorosa , até por questões econômicas, ja que qualquer deslize por parte de nossos produtores seria motivo de barreiras.
    De minha parte tenho é claro preocupaçao com o que minha familia ingere mas acredito que tem preocupaçoes bem maiores em realação ao que comemos (combinação de sodio , gordura e açucar) presente nas ´´gostosuras´´ que as crianças comem. por ex.

    abraços

    Assis Fagundes

    Responder
  • 51. Alcindo Gomes  |  14/11/2011 às 23:32

    Muito bla-bla-blá e enrolação nas “mensagens explicativas” acima. Parece mais uma “conversa” para convencer a quem sempre viveu em centros urbanos e não tem, portanto, nenhum conhecimento a respeito do processo natural do crescimento dos frangos, patos, perus, bois etc.. Nessa “conversa” não há nenhuma explicação clara e objetiva a respeito do que é que faz com que um frango atinja o tamanho adequado ao abate com 40 a 45 dias de vida (embora ainda continue piando como um pinto), quando, em um processo natural de crescimento, um pinto leva em média 135 dias para atingir o tamanho adulto! Por que esses ditos doutores e senhores de apurada formação acadêmica não abrem o jogo? Apenas fatores como higiene, bom ambiente de criação, seleção racial e genética e boa ração não são suficientes para operar milagres na natureza, ou seja, reduzir para um terço o tempo de crescimento de um frango.

    Responder
  • 52. Mike  |  04/12/2011 às 1:59

    Ao amigo de cima que não se conforma com os fatores para o crescimento do frango oqe ele acha, que um Zootecnista ou um Veterinário passa 5 anos na faculdade estudando mais de 5 matérias sobre melhoramento genético estuda essas matérias de idiotice que não servem para nada ?? Quem fica dizendo que o frango caipira não é o mesmo que o das grandes granjas, oque você faria depois de décadas de estudos e investimentos você consegue uma linhagem de frango que pode ser abatida com 1/3 do tempo de criação de um frango comum ?? Você sairia por aí dando matrizes desses frangos para todos os criadores terem frangos iguais aos seus ? Acorda gente, estamos em um país capitalista se você consegue uma linhagem boa de alguma espécie e que tenha um bom retorno financeiro você vai proteger essa linhagem para ser exclusiva sua… O melhoramento genético tem sido estudado no Brasil com mais enfase desde a década de 70 e se em 40 anos de estudo e investimento não se consegue um resultado satisfatório em uma área, os especialistas em genética animal devem ser idiotas em estarem gastando toda a sua vida academica com mestrados e doutorados em em algo infutifero…

    Responder
  • 53. Alan  |  10/02/2012 às 15:25

    Eu sou criador de frangos indio gigante.Este é um caipira melhorado a partir de cruzamentos.esta raça é nova e tem um ótimo ganho de peso .bem melhor q o caipira comum.posso afirmar q cruzamentos e melhoramentos genéticos existem e potencializam o ganho de peso.isto para quem tem dúvidas a respeito do trabalho dos zootecnistas.isso vejo no dia a dia da minha criação.obrigado!

    Responder
  • 54. JOAO  |  27/02/2012 às 11:26

    Eu NÃO acredito em nada que falaram aqui sobre hormônios.

    Como é possivel um PINTINHO CRESCER tanto em 45 dias?
    Afinal. quem ta mentindo MAIS?

    Responder
  • 55. joao andrade da silva  |  27/02/2012 às 12:17

    Frango é SAUDÁVEL náo tem hormonio não…podem comer a vontade.

    Responder
  • 56. Lauirce  |  13/03/2012 às 15:29

    Todo mundo só fala do frango, mas das vacas que atualmente produzem dezenas de litros de leite por dia, ninguém fala!!! *rsrsrs

    Responder
  • [...] Blog Portal do Consumidor Share this:EmailFacebookTwitterGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso [...]

    Responder
    • 58. Esio Batista Cintra  |  05/06/2012 às 12:29

      Bom dia senhores Doutores da Biotecnologiaanimal por favor sanem minhas duvidas pois em nossas familias somos grandes consumidores de carne frango e não gostaria de ter probremas no futuro. Obrigado aguardo retorno. Obrigado. Fui.

      Responder
  • 59. Arthur  |  01/07/2012 às 20:07

    Opa, gostei da discussão.

    Bom galera, meu nome é Arthur, e vou tentar dar minha conclusão e meu parecer sobre toda a discussão (da forma mais imparcial possível). Também fiz uma pesquisa para confirmar dados aqui apresentados.

    Concluindo:

    Realmente, os frangos brasileiros não são tóxicos e insalubres como pretendem esse “sistema” de pessoas e empresas que constroem essa imagem de que o frango é prejudicial por ter hormônio. Estou convencido de que os frangos brasileiros não são submetidos à hormônios. A razão da regra de vigilância e a inviabilidade econômica realmente procedem, os “links” indicados aqui irão confirmar uma pesquisa feita. Estou convencido também de que os antibióticos só são utilizados em pequena proporção, apenas para os frangos que precisem e não para toda granja, e ainda assim seu uso é regrado de forma bem rigorosa pelo Orgão Fiscalizador.
    Isso faz com que o Brasil, um dos maiores exportadores de frango do mundo, tenha o respaldo internacional positivo por ter um alto padrão de qualidade na criação das carnes.

    Entretanto, se debruçarmos no sistema de produção dessas grandes granjas iremos encontrar alguns problemas que também merecem sua atenção.
    Ocorre que para suprir a demanda de frangos de forma barata e rápida, os granjeiros encontraram alguns mecanismos que prejudicam o ciclo natural da vida dos frangos para reduzir pela metade o custo de produção e o tempo de abate.
    Uma informação importante é que os frangos só comem quando estão submetidos à luz, no seu ciclo natural isso significa que eles procuram comida durante o dia para se alimentar e descansam durante a noite, cumprindo assim o equilíbrio natural de seu ser.

    Os frangos de Granja são submetidos à luz 24 horas por dia, essas luzes fortes no Galpão em que eles ficam confinados fazem com que “engane” seu sistema biológico e este entenda que deve comer compulsivamente 24 horas por dia, assim, com comida farta de fácil acesso esses praticamente “só comem”, outra prática que eles fazem é cortar o bico das aves para que esta não “selecione” o que vai comer (na natureza o bico das aves é uma ferramenta de seleção de seu alimento), assim perdendo essa seletividade a comida das aves podem ser modificada para melhor atender as exigências daquele corte.

    Quanto ao alimento das galinhas este, pelo que verifiquei, é baseado em 90% em milho e soja, porém não ficou claro na minha pesquisa como é usado os melhoradores suplementar (vitaminas e minerais) e nem se “restos de carne” (como tripa de animais, pintos machos, etc) são utilizados para alimentar os frangos.

    O espaço físico em que as aves ficam também é outro problema, na natureza essas costumam ficar soltas e caminham livremente de acordo com sua vontade.
    Já nas granjas essas são confinadas em golpões para que elas andem o menos possível, assim a carne da ave fica mais macia e mais gorda. Essa prática além de ter o efeito na carne das aves é bom para o granjeiro que utiliza de menos espaço para uma maior criação de frango.

    Nesse sistema de confinamento, ocorre um fenômeno que eu ainda não fui convencido do real motivo. Ocorre que, se alguém abrir a porta de um desses galpões de forma inesperada para os frangos, muitos deles morrem de “susto” devido a uma parada cardíaca.
    Cogito que isto ter 2 possíveis motivos:
    1) Os frangos, por não andarem e só comerem, ficam com o coração muito gorduroso e fraco, sendo o susto motivo suficiente para matá-las de ataque cardíaco.
    2) A falta de costume de ver seres-humanos ou de presenciarem alterações no meio de forma inusitada causa um susto muito forte, o fator aqui seria o costume, pois o frango solto está acostumado a ver humanos, por exemplo.

    Uma história engraçada sobre isso, ouvi quando um homem disse que, em uma noite chuvosa, caiu um raio perto da granja e isso acabou com toda a criação de frangos….foi tipo uma chacina sonora. haha

    Assim, termino essa conclusão dizendo:

    Após esses estudos, mudei minha concepção sobre os frangos tradicionais, esses são mais saudáveis que eu pensava, porém, irei evitá-los na minha casa, deixando para come-los apenas em festas e restaurante. Na minha casa continuarei fazendo o uso de frangos com o selo Humane Animal Farm Care. Apesar de mais caros, acho a carne mais consistente e saborosa, e sem dúvidas são mais saudáveis.

    Responder
    • 60. Mari  |  10/07/2012 às 18:19

      Arthur, obrigada pelos esclarecimentos. De todas as explicações, a sua foi a mais convincente e, o mais importante, vc a fez com muita classe. Há uns “doutores” que responderam que mais parecem feirantes discutido futebol!! Senti vergonha alheia!!
      Confesso que sempre acreditei na utilização de hormônios nos frangos convencionais, pois nunca entendi como pode ser possível um pintinho, com apenas 70 / 80 dias de vida, chegar a pesar 3 kg e já poder ser consumido!!!
      Mas com sua explicação detalhada sobre a iluminação constante, sobre o bico cortado e o pequeno espaço para a criação, talvez eu comece a acreditar que o hormônio não é utilizado na criação de aves no Brasil.

      Responder
    • 61. Eliane  |  16/10/2012 às 13:03

      Sempre acreditei que os frangos recebiam hormônios. No entanto, a semana passada conheci meu futuro cunhado que trabalha em uma grande granja, e ele me explicou o processo de criação das aves. Ele informou que é inviavel a aplicação de hormônios, além de ser proibido. O sistema de higiene é incrivelmente controlado. E quanto ao crescimento dos frangos é conseguido através do melhoramento genético. Eles estudam e trabalham muito para alcançar essa eficiência. Eles abatem um frango hoje com 28 dias e esperam conseguir diminuir esse tempo. Disse ainda que são usadas vitaminas misturadas às rações. A saúde dos frangos é testada em sistema de amostragem e quando encontram alguma irregularidade no sangue, todo o setor é abatido e descartado. Cheguei à conclusão que a carne de frango é muito mais saudável do que eu imaginava. Quanto ao sabor posso dizer que não é dos melhores. Crio galinhas em casa, apenas para consumo próprio, e o sabor é incomparável ao dos frangos convencional.
      Um abraço a todos.

      Responder
    • 62. Antonio Nascimento  |  04/08/2013 às 13:16

      Parabéns Arthur pela resposta sem blá blá blá

      Responder
  • 63. donizete  |  18/07/2012 às 0:38

    ola arthur legal seu cmentario,so uma observaçao os frangos de granja quando levan um susto eles morrem porque amontoan uns em cima dos outro e com o peso muitos morrem.quanto aos ormonios nao existem pois os frangos de granja sao modificados geneticamente,eu tambem prefiro sempre os frangos caipira abraço.

    Responder
  • 64. Rodolfo  |  03/08/2012 às 10:37

    Incrível o número de asneiras faladas nesses comentários.
    Só mostra o quão ignorante e alienada as pessoas são.

    Frango não recebe hormônio (porque é proibido e ECONOMICAMENTE INVIÁVEL) e ele cresce rápido porque o animal recebeu melhorias genéticas por décadas (foi feito melhoramento genético, FRANGO NÃO É GENETICAMENTE MODIFICADO) e possui um manejo extremamente bem feito (recebe várias rações diferentes durante sua vida, que são feitas com a matéria-prima da mais alta qualidade). Duvida? Vá conhecer a cadeia produtiva do frango antes de sair falando besteira e disseminando a estupidez brasileira sobre a proteína animal mais barata e prática do nosso mercado.

    Responder
  • 65. Karen  |  25/11/2012 às 17:41

    Ok! Estamos começando a entender…
    Nao sou da área de veterinária/agricola/zootecnia, e estava pesquisando o assunto ,pois tenho evitado a carne de frango acreditando na história dos hormônios …gostaria entao de saber dos especialistas acima se as infos a seguir são verdadeiras / pesquisando no site
    http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20081003200156AA2iPJz ,
    copiei o texto a seguir para vcs!
    “A indústria avícola nega vêementemente que haja adição de hormônio feminino(progesterona) à ração dos frangos de corte, mas uma consulta à Embrapa revela que o sorgo mofado produz uma substância análoga à progesterona e que o sorgo faz parte da ração dos frangos de corte.
    Portanto os produtores não estão mentindo quando afirmam que NÃO ADICIONAM o hormônio mas isto não quer dizer que a carne não o contenha em boa quantidade.

    “…pois a sua molécula é semelhante à da progesterona (hormônio feminino). … Ela causa má formação óssea nas pernas de frangos de corte. …”
    http://www.cnpms.embrapa.br/publicacoes/sorgo… – 12k -
    É de se supor que a carne dos frangos de corte com pernas mal-formadas não seja exportada mas consumida no mercado interno.

    Responder
  • 66. José Carlos de Oliveira  |  13/02/2013 às 13:04

    Alguem já pensou que fornecemos mais proteinas para os frangos para engordá las industrialmente do que retiramos dela. É um caso de produção reversa de proteínas. É ademais tornar uma coisa gorda é bom porque? Os obesos humanos não estão mais sugeitos a doenças? jcarlos@dee.ufrj.br

    Responder
  • 67. zila  |  10/09/2013 às 23:11

    Minha pergunta é: Se o frango não recebe hormonio, mas é modificado geneticamente, significa que ele é Transgenico, certo? Se foi modificado qual foi a parte da sua genética que foi alterada? No meu senso comum, leva a pensar que foi a parte glandular donde produz hormonio do crescimento do proprio frango, fazendo com q dobre de tamanho, certo? E ao comer este frango, bombado dentro de nos estariamos recebendo esta alteração hormonal também? A glandula dele foi hiper estimulado a produzir hormonio do crescimento, este fator não produz o mesmo efeito no corpo humano?
    Zila

    Responder
  • 68. Joana  |  18/09/2013 às 0:48

    Não comam frango de granja, só comam frango caipira. Não acreditem nesses capetas que defendem essa pseudo-carne, sem nenhum sabor ou valor nutricional e que se não é lotada de hormônios (duvido) é lotada de antibióticos e outros químicos semelhantes e potencialmente prejudiciais.

    Responder
  • 69. Silvio  |  30/09/2013 às 12:19

    se tem medo de hormonios, não bebam agua de torneira….e parem de se preocupar com o frango….
    http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/dezembro2006/ju346pag03.html

    Responder
  • 70. jean karlo  |  07/10/2013 às 20:58

    concordo plenamente com meu amigo ZILA…SOU CRIADOR DE FRANGO CAIPIRA e minha maior preocupação é com a alimentação dos próprios.

    Responder
  • 71. edson  |  09/10/2013 às 23:37

    gente! quem escreveu este artigo esta muito interessado em dinheiro, não em saúde!
    não vamos dizer que os frangos de granja tem hormônios, só vamos dizer que tem porcarias. … foi falado la em cima até sobre pescado!! as tilapias recebem hormônios na ração, a tal raçaõ de reversão. que faz o macho virar femea, so pra ter um tamanho maior! e vem me falando de controle rigoroso!! controle rigoroso não é saúde! frangos medicados depois de uma hora já podem ser abatidos. alguém já testou esses medicamentos em seres humanos para ver os resultados?
    a organização mundiao da saúde ta pouco se lixando para para quem vai ficar doente daqui a dez anos!

    Responder
  • 72. sanfrezza  |  11/11/2013 às 21:58

    Tive a paciència de ler todos os 61 comentários acima. Não sou da turma que defende nem da que acusa os fangueiros. Sou da turma que pretende formar opinião própria com base em informações consistentes. Em toda essa conversa, faltam respostas ou questionamentos sobre alguns fatores fundamentais. Então, vamos lá:

    1 – A legislação proíbe o uso de hormônios. É verdade. Neste país, todo mundo cumpre rigorosamente as leis e a fiscalização oficial funciona com perfeição, portanto, nesse aspecto, estamos todos seguros. É verdade?

    2 – A aplicação de hormônio é inviável, do ponto de vista econômico. Também acho: imaginou o custo de pegar, diariamente, um milhão de frangos e aplicar em cada um uma injeção? Quantas pessoas seriam necessárias? A que custo? Portanto, acredito que não se injetam hormônios em fangos;

    3 – Alguém disse aí em cima que 90% da ração que alimenta os frangos é composta de milho, soja e sorgo e ninguém refutou essa afirmação. Então deve ser verdade. E os outros 10%, o que contêm: vitaminas, antibióticos e… hormônios do crescimento? Não estou afirmando que contêm, estou apenas perguntando.

    4 – Somos o maior exportador de frangos do planeta (alguém afirmou isso aí em cima).Os empresários brasileiros são todos, todos mesmo, muito honestos. O consumidor estrangeiro é mais exigente que o nosso povaréu. Se exportarem porcaria (alguém escreveu essa palavra aí em cima), perdem o freguês. Portanto, ser honesto é uma necessidade. Mas, se o nosso povaréu não é exigente, para que ser honesto? Não tem necessidade. E dá-lhe hormônio na ração! Não estou afirmando, é apenas uma possibilidade que não foi discutida.

    5 – A fiscalização dos países importadores é muito rígida nessas questões. E deve ser mesmo, no Japão, na Noruega, na Suécia, em Israel e em tantos outros países (ditos de primeiro mundo!). Será que aqui pela América Latina, na África, em grande parte da Ásia e em vários e vários países da Europa, essa rigidez existe? Não sei, só estou perguntando.

    Eu poderia ficar enumerando muitos fatores que estiveram ausentes na discussão, mas, por enquanto, basta.

    Espero que os doutos de plantão respondam a essas questões com a devida educação e, principalmente, com argumentos científicos e desprovidos de paixões interesseiras. E em português minimamente condizente com a formação acadêmica de cada um, o que, não tenho dúvidas, faz com que as opiniões sejam mais confiáveis. Aliás, essa última condição (o vernáculo) tem andado em falta por aqui.

    Espero também que os leigos que duvidam das afirmações dos defensores da inexistência do uso de hormônios exponham suas dúvidas e convicções de modo civilizado e educado. Faz bem ao debate.

    Responder
    • 73. José Carlos de Oliveira  |  13/11/2013 às 16:09

      A questão para mim é a seguinte: a JBS mata por dia 12 milhões de frangos. Para não perder a hegemonia comercial tem que produzir frangos para o corte em cerca de 40 dias (39 a 41). Há que egordá-los nesse período e engordam. Se uma criança fosse engordada nesse ritmo teria em 40 dias, 150 quilos. Ou seja o que é um frango? Já não importa se usam ou não hormônios. Há que se veriicar a qualidade dessa carne (dizem que a relação de w6 para w3 passa de algo, que numa galinha caipira era de 2 para um 1, a cifra de 25 para 1). Alem do mais se dá a ela mais proteina (4×1) do que se consegue obter no seu uso.
      Talvez essas sejam questões para se meditar primeiro. Se dão ou não hormõnios só vem a piorar uma questão p’ra lá de preocupante.
      José Carlos

      Responder
  • 74. Mari  |  22/11/2013 às 19:34

    Li todos os comentários atentamente. Também, concordo que as respostas sejam feitas de formas civilizadas e educadas, que faz bem ao debate! Não concordo que as pessoas sejam indelicadamente apontados como ignorantes e outros adjetivos, por pessoas que estudam cinco ou mais anos.
    Nós vivemos num país desacreditado, onde os interesses financeiros estão acima de qualquer coisa. Não sabemos mais o que é certo ou errado! Mas com certeza temos que respeitar as opiniões e os anos de estudos e pesquisas. No entanto, o que estamos preocupados é com o aumento de produtos artificiais, com sabores alterados etc.
    Resumindo: pergunto aos pesquisadores, por que o sabor do frango não caipira tem o sabor tão diferente? Ou seja muito ruim, enjoado,causando ãnsia quando ingerimos sua gordura? Outro questionamento é quanto a soja, que é inserida na ração dos frangos. É verdade que esta, não é usada adequadamente,por possuir antinutrientes? E que teria que ser passado por um longo tratamento?

    Responder
  • 75. ANALUIZA  |  17/02/2014 às 20:08

    Analuiza – PR – mas realmente ainda ninguém me convenceu de que carne de frango de frigoríficos, etc, que não sejam caipira, não seja prejudicial a saúde. , NÃO ACREDITO! e ponto final.

    Responder
  • 76. Fabio  |  18/02/2014 às 18:04

    Cara Analuiza; realmente não é necessário “convencê-la” de algo. Isso só a própria pessoa, ao considerar as informações a sua disposição, pode fazer.

    Entretanto, duvido que consiga fazer isto, pois pelo visto só acredita no que quer, e você quer acreditar no mito.

    Também estou certo que você nunca viu como é criado um frango dito “caipira”, ou seja, do começo do ovo ao abate do mesmo na sua frente.

    Portanto, se você é uma dessas pessoas que “só acredita vendo”, vá numa granja e pergunte a quem entende!

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

outubro 2009
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Tópicos recentes

Siga nosso Instagram @portaldoconsumidor

Inmetro Certifica Compulsoriamente Componentes de Motocicleta
O Instituto publicou regulamento estabelecendo requisitos de segurança para uma série de componentes de motos. Mas, além disso, é preciso que o condutor tome alguns cuidados para garantir sua segurança no trânsito. Confira as dicas! Saiba mais em www.portaldoconsumidor.gov.br #Inmetro #Consumidor #consumo #moto #Motocicleta Internet Banking: Você confia?
Fazer transações bancárias online está se tornando cada vez mais comum, mas alguns consumidores ainda têm medo de utilizar o serviço. Pensando nisso, o Portal reuniu 8 passos para você acessar sua conta via Internet com segurança. Saiba mais em www.portaldoconsumidor.gov.br #Consumidor #Direitos #Consumidores #Inmetro Autoescola: O que você precisa saber para evitar armadilhas  Diretora do Detran-RJ, em entrevista ao Portal, orienta o consumidor sobre a contratação do serviço e relaciona algumas dicas sobre as aulas práticas, teóricas e para a hora do exame, que costuma ser o momento de maior tensão do aluno. Saiba mais em www.portaldoconsumidor.gov.br #consumidor #Consumido #inmetro #Autoescola #consumidor #Diadoconsumidor #Consumo #inmetro #PortaldoConsumidor #cosumidora Acesse nosso portal: www.portaldoconsumidor.gov.br Instagram: www.instagram.com/portaldoconsumidor #consumidor #Diadoconsumidor #Consumo #inmetro #PortaldoConsumidor @cosumidora Fique sabendo de seus direitos, acess, www.portaldoconsumidor.gov.br Vai cair na folia? Confira as dicas  Há menos de quinze dias do carnaval a festa já começou em várias cidades, levando milhares de pessoas ao carnaval de rua. Para você que vai cair na folia, listamos 08 dicas para aproveitar o melhor dessa festa.
 Twitter: www.twitter.com/consumidor_gov siga nosso instagram: www.instagram.com/portaldoconsumidor #consumidor #consumidores #consumo #inmetro #procon #carnaval #carnaval2014 Saiba seus direitos quando comprar passagem aérea para assistir os jogos da Copa  Pensando em comprar sua passagem de avião para assistir os jogos da Copa do Mundo 2014? Saiba seus direitos de consumidor na hora de comprar passagens aéreas. Saiba mais em www.portaldoconsumidor.gov.br e siga nosso instagram: www.instagram.com/portaldoconsumidor #consumidor #consumidores #consumo #inmetro #proconSeguindo #Copa2014 #CopaDoMundo Acesse o Portal do Consumidor, www.portaldoconsumidor.gov.br Twitter: www.twitter.com/consumidor_gov siga nosso instagram: www.instagram.com/portaldoconsumidor #consumidor #consumidores #consumo #inmetro #procon Acesse o Portal do Consumidor, www.portaldoconsumidor.gov.br Twitter: www.twitter.com/consumidor_gov siga nosso instagram: www.instagram.com/portaldoconsumidor #consumidor #consumidores #consumo #inmetro #procon

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 41.079 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: