Excesso de Embalagens?


No fim de semana passado fui a uma padaria para comprar uns frios.  Ao começar a arrumar a mesa do lanche fiquei extremamente incomodada com a enorme quantidade de embalagens que cada produto tinha. Os frios estavam envolvidos em um plástico, depois acondicionados em uma embalagem de isopor, no final essa embalagem era envolvida com um papel de embrulho da padaria e inserida numa sacola plástica – esqueci de levar minha sacola ecológica.

Entendo que talvez a intenção do estabelecimento ao utilizar todas essas embalagens tenha sido a de transparecer higiene em relação ao produto. Entretanto, coloco a seguinte questão: apenas o primeiro plástico e talvez o papel no final não seriam suficientes para manter as boas práticas de higiene?

Tenho o hábito de separar o meu lixo – reciclável e não reciclável – e, é claro, que todo esse excesso foi para reciclagem, mas o consumidor deve estar atento, pois a reciclagem, embora seja sem dúvida o melhor caminho para esse tipo de lixo, é um processo, que entre outras coisas, tem um custo com energia elétrica e água gerando impacto sobre o meio ambiente. Outro aspecto a ser considerado é que separar o lixo ainda não é um hábito da maioria das pessoas.

De acordo com o Compromisso Empresarial para Reciclagem – Cempre, uma associação sem fins lucrativos dedicada à promoção da reciclagem, no Brasil, a geração de lixo urbano no Brasil está em torno de 140.000 tonelada/dia, sendo que de 55 a 60% ainda são destinados a lixões, segundo estimativa dos órgãos de fiscalização ambiental competentes. .

A Instituição ressalta em seu site que a reciclagem de lixo urbano gira em torno de 12%, mas que alguns tipos de materiais apresentam índices equivalentes aos mais elevados do mundo, tais como as latinhas de alumínio, papelão e plástico tipo PET. Papelão e alumínio apresentam os mais elevados índices relativos do país, 77 e 94% respectivamente. Dentre os plásticos pós-consumidos, o PET é aquele que apresenta o maior valor de mercado.

Apesar dos bons números de reciclagem não podemos perder de vista um dos princípios dos três Rs que é reduzir. Precisamos das embalagens, mas só do necessário.

Numa rápida busca na Internet sobre “excesso de embalagem” é possível perceber que no Brasil há um movimento de algumas ONGs e de alguns blogs que também estão preocupados com essa questão.  Com o intuito de criar um movimento de discussão e conscientização em torno desse tema convido todos os usuários do Portal a refletir mais sobre o assunto  e nos enviar a sua opinião. Você se incomoda com a quantidade de embalagens que você descarta na sua casa? Você considera a quantidade de embalagens exagerada?

15 comments

  1. O excesso de embalagem no lixo de minha casa é assustador principalmente quando apenas duas pessoas moram lá. É muita embalagem. Outro dia me dei o trabalho de abrir minha lixeira antes da destinação final/fatal e fotografei tudo o que estava lá dentro. Assusta qualquer um.

  2. Algumas vezes como as lojas de fast-food exageram na embalagem a titulo até promocionalmas sem fim de proteger somente o produto. Há como reduzir isto e em consequência baratear também os custos

  3. O QUE MAIS ME INCOMODA ,É COMPRAR UM DETERMINADO CHICKEN OU HAMBURGUER.
    VEM UMA CAIXA E DEPOIS O PRODUTO EM SAQUINHOS SEPARADOS OU NÃO!

  4. Crônica escrita em 2004.
    Boicote ao saco

    Já sou conhecida nos mercados onde compro por duas atitudes no mínimo estranhas para as moças dos caixas e os garotos das sacolas: não escrevo telefone e endereço atrás de cheques e ponto final. E não pego sacolinhas de plástico.
    Difícil é passar as compras, pagar, brecar o ensacolador que geralmente esconde minhas coisas furiosamente em dezenas de saquinhos enquanto eu pago e ainda explicar, ao mesmo tempo, o porquê da recusa aos sacos. Aos poucos, prá sair dessa sinuca quase diária, criei várias personagens e visto uma delas enquanto visito as gôndolas. A decisão por uma ou outra depende do tamanho da fila, do tamanho da grana, do tamanho da compra, e, é claro, do fígado.
    A didática educada com pressa: – “Sabe, um saquinho desses dura 50 anos e eu já tenho vários em casa. Precisamos com urgência produzir menos lixo. Obrigada”.
    A esquisita:- Sabe, plástico é feito de petróleo que é o resultado da decomposição de florestas e dinossauros. Como os átomos não se desintegram espontaneamente, com certeza há nessas sacolinhas átomos de samambaias gigantes ou brontossauros. Não é uma judiação?” (Essa faz sucesso quando a fila está grande. Uma vez um cara de Piracicaba pegou o gancho e disparou um discurso que não parava nunca mais… )
    A compadecida social: – Sabe, é que se eu colocar meu lixo e minha sucata nessas sacolinhas todas brancas e todas iguais, os coletores de lixo e de sucata vão fazer a maior confusão. COITADOS!!! E o pessoal da cooperativa precisa muito (dou ênfase!) da minha sucata para poder pagar o aluguel, comprar o material da escola dos filhos, pagar a conta de luz… Sabe, gosto de facilitar o trabalho dos coletores.Uso sacos grandes transparentes para sucata e pretos para o lixo. É o meu Fome Zero! (essa tem provocado sorrisos simpáticos!)
    A consumidora exigente: – Sabe, uma sacolinha dessas custa cerca de cinco centavos. Seu patrão (todos odeiam o patrão!) me empurra um monte delas, embute no preço e eu termino pagando pelo que não quero. Já não basta o preço das coisas? (às vezes me empolgo nessa parte) Nós compramos sem saber, e isso não é justo. E blá, blá, blá… Não é?
    Se o mercado tem impresso o nome no danado do saco a coisa pode virar comício. – Eu me recuso a sair fazendo propaganda do seu patrão de graça. Quem ele pensa que é? O quê ele pensa que sou? Tonta?
    A fashion:- Euuuu? Sair com um monte de sacolinhas penduradas nos dedos? Cruzes! Acho um horror, uma po-bre-za! Só uso sacolas lindas! Essa, por exemplo, eu trouxe de Paris….
    A chic: – Na Suíça e na Alemanha ninguém pega saquinho. Argh…
    A eco-socio-terrorista – (para essa eu preciso estar com tempo livre) Você tem filhos? Sabe, a gente desperdiça tanta coisa, né? Já imaginou como vai estar o planeta quando seu filho estiver maior? A gente não para de fazer lixo! Sabia que cada um de nós produz , em média, 1 kg de lixo por dia? Sabia que hoje são 6 bilhões de pessoas no planeta fazendo lixo o tempo todo? Todos os dias? Olha aqui, ó, tá vendo essa embalagem? Quando seu filho estiver beeeeem velhinho ela ainda vai existir desse mesmo jeito. O planeta vai estar que é um lixo só! Coitado. Do planeta e do seu filho….
    De uns tempos para cá ando pedindo descontos por não pegar as sacolas. Já consegui alguns.

    Georgeta de Oliveira Gonçalves
    Educadora Ambiental
    georgeta@uol.com.br

  5. Sempre que possivel procure reduzir o excesso de embalagem nas minhas compras. No entanto os produtos embalados e disponibilizados em prateleiras dificultam essa triagem. As empresas em geral deveriam se programar para trocar esse excesso de embalagem por simplesmente sacolas ecologicas, e no caso de produtos alimenticios perecíveis, apenas uma embalagem higienica, e a forma de transporte até a residencia fica por conta do consumidor.Temos que nos reeducar, pois o excesso de embalagem encarece o produto.Abraços e obrigada/Célia

  6. A embalagem é uma ferramenta fundamental para vender o produto, mas também é um meio de melhor acondicionar e conservar determinado produto. Sou pelo seu uso racional. Talvez o dono dessa padaria não tenha noção do uso racional, por isso gerou o protesto em tela.

  7. Efetivamante o uso de embalagens tem sido excessivo em todas as atividades humanas e é necessário que haja uma conscientização a partir do nucleo familiar, aquilo que se chama de educação doméstica, claro que se faz necessário a participação do poder publico e da mídia além das ongs e também da escola no contexto de todos os níveis, porém necessário se torna que alguma ferramenta efetiva de motivação e prática seja oferecida ao grande publico. Aqui vai uma idéia: O poder publico (prefeituras) com subsidios ou não, com patrocínios ou não, com engajamento socio-econômico de seguimentos da sociedade, devariam fornecer ao publico para uso nas suas residencias sacos para embalagem do resíduo domiciliar já padronizado nas cores específicas internacionalmente usadas para que assim educasse e motivasse o GRANDE PUBLICO à reciclagem, pelo menos separar o organico do inorganico, isso já seria um grande passo. daí em diante mensagens, avisos, cartilhas, campanhas, etc seria consequencia e oportunidade.

  8. MORO COM MEU PAI, E DE 15 EM 15 DIAS LEVO CERCA DE 4 SACOS DE LIXO BEM CHEIO COM AS EMBALAGENS PARA RECICLAGEM. E AGORA EU ESTOU VICIADA, NÃO CONSIGO JOGAR UM PAPELZINHO FORA OU UM COPINHO DE IOGURTE SEM LAVAR DE SEPARAR PARA RECICLAGEM. AS PESSOAS DEVERIAM SER MAIS CONSCIENTES, PENSAREM MAIS NO MEIO AMBIENTE E FAZEREM A MESMA COISA. COM O TEMPO, VOCÊ SE ACOSTUMA E ACRESCENTA MAIS ESSA ATIVIDADE DE SEAPARAR O LIXO RECICLÁVEL NO SEU DIA A DIA.

  9. Se existem exagero em embalagens? e como tem !!!!
    um exemplo ??
    embalagem de chá: temos o plástico envolvendo a caixa, a caixa de papelão, o envelopinho de papel e o saquinho permeável…
    pra que tudo isso???? se houvesse venda a granel, bastaria UM saquinho de papel enceradoe você usaria em casa o coador…
    aliás, a venda a granel poderia retornar, em muitos casos…alguns supermercados já fazem isso com frios, azeitonas, picles, por exemplo…

  10. O excesso deve ser nossa preocupação, obrigando os agentes publicos para uma coleta seletiva efetiva. A criação de ecopontos de verdade.

  11. Penso que escrever aqui é muito fácil e que há muita falácia por aqui. Na prática, poucas pessoas fazem algo para preservar a natureza. Muitos aqui, não tomam banho rápido, quando o sabonete está no fim, quem quer usar? E o creme dental? Banhos quentes demorados, há mas é aquecedor solar, podem dizer, mas e a água? Secadores de cabelo, pranchas, tv e lâmpadas ligadas a toa. Aqui em casa tenho jovesns que se dizem conscientes e direto tenho que apagar luzes, desligar tv e ventiladores as moscas. Por isso gente, deixem de baboseira e vamos a ação.

  12. O problema maior é sempre convencer minha mãe de separar o lixo…. Ela já tem 65 anos e possui uma mentalidade de gente antiga… Eu insisto, mas não fico em casa, então, ela acaba juntando tudo… Ela sempre coloca as embalagens de biscoito em outro saco, diz que é pra não estragar…

  13. Gostaria de saber se o cliente pode exigir em qual embalagem quer levar seu produto ou pode ficar a critério do estabelecimento??? O que diz a lei? Já tive vários problemas com isso, dou uma bolsa pequena e o cliente quer uma grande, etc…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s