O desperdício sai caro


O Brasil mesmo possuindo 13,7 % de água mundial, segundo ANA (Agência Nacional de Águas) em 2008, 40% da água retirada no país é desperdiçada. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que 50 países enfrentarão crise no abastecimento de água, por volta de 2050. Diante desse cenário, é importante que o consumidor fique mais atento ao uso e o tratamento dado a esse recurso natural finito.

A água cobre 75% da superfície da Terra. A água salgada está presente nos mares e oceanos e representa 97,4% de toda a água. A doce, portanto, não chega a 3%, sendo que 90% desse volume corresponde a geleiras e o resto a rios, lagos e lençóis subterrâneos. Daí a importância da preservação dos mananciais.

Todo cidadão tem direito a água e esgoto tratado. Para a água chegar aos nossos lares é captada em rios, lagos e barragens ou mananciais subterrâneos e através de tratamento  com processos químicos tornar-se potável, livre de contaminações. O tratamento adequado garante que ela chegue à sua casa sem apresentar riscos à saúde. Ao adquirir sistema correto de saneamento, água que foi usada na alimentação e na higiene é direcionada para o esgoto, através de canalização para que não haja contaminação do solo. Isto é de extrema relevância para preservação das fontes de água doce, uma vez que o esgoto tratado, ou seja, água com 95% de retirada de impurezas é lançada para mares, rios, bacias etc., volta para a natureza e mantém o equilíbrio ambiental.

O Instituto Trata Brasil divulgou no mês de maio dados sobre o descarte de esgoto sem tratamento no país, a pesquisa foi realizada 81 cidades brasileiras, com mais de 300 mil habitantes, e, apesar do resultado revelar um avanço entre os anos de 2003 e 2008 de 11,7%, no atendimento de esgoto nas cidades observadas, e de 4,6% no tratamento, ainda são despejados no meio ambiente todos os dias 5,9 bilhões de litros de esgoto sem tratamento. Esse número reflete o alto número de famílias que não tem acesso ao saneamento básico adequado. De acordo com dados do Instituo, para 2014 há uma previsão de 09 milhões em investimentos no setor.

Outro fator importante para minimizar a contaminação da água é o descarte do lixo, de acordo com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro – CEDAE são retirados diariamente cerca de 1,5 m2 de lixo durante o tratamento de esgoto. O lixo dificulta e onera o processo de tratamento da água. A CEDAE explica que os equipamentos necessários para o tratamento chegam custar mais de 1 milhão de dólares e consomem em torno de 1 giga watts de energia – o equivalente para fornecer luz a uma cidade de aproximadamente 4,5 milhões de habitantes.

Dessa forma é importante ter consciência em relação ao descarte correto do lixo e cobrar do Poder Público que assegure recursos suficientes e permanentes para este setor. Não esqueça que se fica mais caro tratar a água, o custo disso é repassado para o consumidor final.

Dicas do Projeto Brasil das Águas para a economia no consumo de água:

• Tomar banho: um banho demorado chega a gastar de 95 a 180 litros de água. Banhos curtos economizam água e energia elétrica.

• Escovar os dentes: com a torneira aberta, o gasto é de até 25 litros. Primeiro escove e depois abra a torneira para encher um copo com a quantidade necessária para o enxágüe.

• Apertar a descarga: uma válvula de privada no Brasil chega a utilizar 20 litros de água em um único aperto. Por isso aperte apenas o tempo necessário.

• Usar as torneiras: uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros de água por minuto e se estiver pingando são 46 litros por dia.

• Lavar louças: lavar as louças, panelas e talheres com a torneira aberta o tempo todo acaba desperdiçando até 105 litros. O certo é primeiro escovar e ensaboar e depois enxaguar tudo de uma só vez.

• Lavar calçadas: muitas pessoas utilizam a mangueira como vassoura, desperdiçando água tratada na lavagem das calçadas. Use a vassoura e quando necessário um balde ao invés de deixar a mangueira aberta o tempo todo.

• Lavar roupas: apenas use a máquina de lavar quando estiver bem cheia.

• Lavar o automóvel: gasto médio de 560 litros em 30 minutos. Lavar apenas quando for realmente preciso, usando um balde em vez de mangueira, e economiza será de 520 litros.

• Molhar plantas: primeiro, consulte a meteorologia para ver se vai chover! Regar somente o necessário usando um esguicho tipo “revólver”, que libera a água só quando adicionado. Armazena a água da chuva para molhar suas plantas.

Bianca Reis
Thaís Vinhas – Estágiaria

2 comments

  1. A agua da roupa lavada é muito rica em sabão em pó e amaciante e no entanto a maioria joga no ralo.Ela pode ser aproveitada para lavar privadas,garagens,calçadas e varias coisas.Além de não se jogar na fossa, da pra se fazer uma baita de uma economia.Pensem nisso.

  2. O governo poderia sugerir empresas que fazem mini estções de tratamento dentro de casas e condomínios. assim, toda a água dos telhados e do banho poderia ser armazenado e usado para regar plantas ou lavar carro, chão da casa. A caixa econômica deveria contruir uma linha de crédito para essas implementaçoes ecológicamente corretas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s