Comprar eletrodoméstico e/ou eletrônico exige atenção


Crédito fácil, financiamento e promoções, somados ao dinheiro extra do décimo terceiro, seduzem o consumidor a comprar mais no final de ano. Mas fiquem atentos as dicas para não acabar tendo dor de cabeça.

Esse ano a procura por produtos para o lar aumentou. Desde agosto o comércio alcançou 8,3 bilhões em vendas e o principal responsável por esse resultado foi o setor de eletrodoméstico e eletrônico. Segundo a pesquisa Conjuntural Comércio Varejista, realizada pela Fercomercio, esse número representa um aumento 32,9% nas vendas quando comparadas ao mesmo período do ano passado.

A baixa de preço de eletrônicos, que ao longo do ano totalizou 11 quedas consecutivas como registrou o Índice de Preço no Varejo (IPV),  por conta da desvalorização do Dólar colaborou bastante para o aumento na procura desses produtos.

Escolher um produto hoje não é fácil, no mercado há grande diversidade de marcas e modelos. Pesquisar antes de comprar é fundamental, é o que afirma a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon-SP. Deve-se levar em consideração fatores como necessidade de uso, qualidade, espaço, entre outros. Nem sempre o aparelho recém-lançado no mercado, aquele cheio de sofisticação, é a melhor escolha.

A internet pode facilitar a pesquisa de mercado, acessar um site de compra permite o consumidor fazer uma avaliação mais rigorosa de forma mais rápida. Entretanto, é bom lembrar que nem sempre os preços são iguais na loja física e na loja virtual, existem promoções específicas para as lojas on-line.  Se você decidir fazer as compra via Internet fique atento ao prazo de entrega, pois essa época do ano, em virtude do alto volume de vendas,  os  produtos podem demorar a chegar ao destino final.

Outro cuidado importante é em relação à forma de pagamento, ela é essencial para manter o orçamento equilibrado após a compra. Em caso de compras a prazo, leia atentamente o contrato de financiamento e, em caso de dúvidas sobre as cláusulas contratuais, não hesite em perguntar ao vendedor que tem o dever de esclarecer todas as suas questões.

Todo contrato deve ter letra legível. Desde setembro de 2008, com a publicação da Lei Nº. 11.785 que altera o artigo 54 do CDC, o tamanho da fonte de todos os contratos não pode ser inferior ao corpo doze, de modo a facilitar sua compreensão, e as cláusulas contratuais que impliquem em limitação dos direitos dos consumidores devem ser redigidas com destaque.

Exigir a nota fiscal é um direito de todos os consumidores. A nota deverá conter os dados da compra como: valor do total, as condições de pagamento, data de entrega, instalação, valor do frete (se houver), detalhes do produto, dados do comprador (tanto para pessoa física como jurídica) e só poderá ser emitida no dia em que a compra for efetuada.  No caso de pagamentos com cheques pré-datados, faça constar as datas de vencimento dos cheques no pedido ou na nota fiscal e não se esqueça de guardá-la, pois  é a garantia de seus direitos.

È bom lembrar que o não recebimento do carnê de pagamento, depois da assinatura do contrato, não isenta o consumidor da dívida e, o não pagamento na data correta, vai gerar juros sobre o valor da prestação. Nesse caso, recomenda-se que o consumidor vá até a loja, realize o pagamento avulso, guarde o recibo e peça a emissão da 2ª via do carnê.

As reclamações sobre eletrodomésticos e eletrônicos em caso de defeito podem ser feitas em noventas dias, a partir do recebimento do produto, e o fabricante tem trinta dias para solucionar o problema. Caso isso não ocorra, o consumidor pode exigir a substituição do produto por outro da mesma espécie, ou a devolução imediata da quantia paga corrigida, ou um abatimento proporcional ao preço. A reclamação deve ser realizada primeiramente com a loja onde foi efetuada a compra, tendo em mãos a sua documentação, nota fiscal, certificado de garantia, contrato ou quaisquer documentos fundamentais para comprovar sua reclamação.

Em caso de compras fora do estabelecimento – Internet, telefone, porta de casa – o consumidor tem prazo de sete dias para arrependimento da compra, caso o produto não corresponda a sua expectativa. Nessa hipótese, ou ele poderá ser trocado, ou substituído por qualquer produto do mesmo preço, ou o consumidor pode receber o valor que pagou pelo produto de volta.

Por Bianca Reis e Thaís Vinhas (estagiária).

5 comments

  1. Comprei um fogão pela internet no WalMart pedi troca do produto assim que recebi no dia 24/11/2010, por motivo de defeito(amassado).Eles trabalham com a transportadora Decisão,mas quando vieram fazer a coleta do produto não era dessa transportadora e não tinham identificação de nenhuma outra empresa.Não deixei que levassem o fogão, porque eles não deixariam nenhuma nota de troca.Gostaria fazer devolução do mesmo, tenho esse direito?Fiz a compra no cartão de crédito parcelado no dia 14/11/2010, desde já agradeço e aguardo resposta.

  2. Bom dia!
    Adquiri um MICROONDAS da marca BRASTEMP, e antes de completar 3 meses de uso, este parou de funcionar!
    A TÉCNICA AUTORIZADA já detectou o problema e trocou a peça.
    Contudo, sinto-me LESADO, pois escolhi a marca BRASTEMP para justamente NÃO ter problemas, e estou DECEPCIONADO!
    Gostaria de saber se eu teria direito a exigir da brastemp a TROCA do aparelho (que deu DEFEITO) por um NOVO aparelho??

    att,
    Eduardo

  3. gostaria de saber se uma loja de roupas pode exigir que um consumidor deixe sua bolsa no guarda volumes?

    • Prezada Francisca,

      Infelizmente não temos essa informação. O Portal do Consumidor é um site de informações sobre relações de consumo, porém não temos serviço de atendimento jurídico. Ao receber uma reclamação ou uma pergunta cuja resposta não está explícita em alguma notícia postada no blog, sugerimos aos consumidores caminhos que podem percorrer para resolver seus problemas, como os Órgãos e Entidades que podem procurar.
      Sugerimos que procure o Procon mais próximo de seu município. Na primeira página do Portal pode ser encontrada uma lista de Procons de todo o País. http://www.portaldoconsumidor.gov.br/procon.asp

      Um grande abraço.

      Bianca Reis.

  4. comprei uma tv de 32 polegadas no extra,ano passado ela deu problema e não tem concerto,paguei 1.300,00 só que agora ela ta 899,00 e diz o extra que tem que ser uma tv no mesmo valor,só que eles não devolve a diferença e nem posso pegar uma de maior valor ,isso é lei resumindo quem saiu no prejuizo foi eu
    por favor aguardo resposta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s