Produtos verdes nem sempre são ecologicamente corretos


Empresas anunciam mercadorias e serviços ecologicamente corretos, mas tudo pode ser apenas propaganda enganosa.

Ouvimos frequentemente que se todas as pessoas tivessem o padrão de consumo dos  EUA, precisaríamos de 4,5  Terras para que o mundo não entrasse em colapso. Sabemos que os recursos naturais são finitos, mas, também, temos consciência do quanto é difícil frear o consumo. Consumir é inevitável, além de ser sinônimo de status, com um valor simbólico enorme na sociedade atual em que ter parece mais importante do que ser.

Diante dos inúmeros diagnósticos de especialistas sobre a necessidade de um consumo mais responsável e, portanto, sustentável,  uma parcela da sociedade tem se preocupado mais na hora das compras e tem buscado produtos de empresas que declaram ter algum compromisso ambiental.

De olho nesse seguimento do mercado, há algum tempo inúmeras corporações têm associado suas marcas às causas socioambientais buscando maior lucratividade. Assim, milhões de consumidores passaram a ter a consciência mais tranquila priorizando os produtos dessas empresas, convencidos que assim estão minimizando os impactos ambientais.

Entretanto, especialistas ressaltam que essas ações podem ser apenas Greenwashing, que embora não tenha tradução para o português, quer dizer literalmente “lavagem verde”. Na prática, significa induzir o consumidor ao erro, principalmente por meio de propaganda, quanto às práticas ambientais de uma empresa ou aos benefícios que um produto ou serviço podem representar ao meio ambiente.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – IDEC, em entrevista ao Jornal O Globo, explica que ainda não existem normas que orientem as empresas quanto à prática do Greenwashing e, que até agora, a única iniciativa, foi o lançamento de um código de ética para apelos de sustentabilidade, lançado em meados do ano passado, pelo Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária – Conar. Esse documento estabelece que, entre outras normas,  os benefícios socioambientais comunicados deverão ser significativos em termo de impacto global que as empresas, suas marcas, produtos e serviços exercem sobre a sociedade e o meio ambiente em todo seu processo e ciclo de vida (desde a produção, passando pela comercialização, uso e descarte).

Visando orientar os consumidores sobre como identificar quando a propaganda socioambiental é real, reproduzimos abaixo algumas dicas contra os falsos apelos, publicadas  no Jornal O Globo.

Reciclagem
Com exceção das latas de alumínio, as empresas não têm interesse por outros materiais recicláveis ressalta a jornalista Cláudia Visoni. É preciso ficar atento à validade das campanhas que se propõem a receber e reciclar materiais.

Orgânicos
Frutas, verduras e legumes produzidos sem agrotóxicos trazem selo do Ministério da Agricultura. Fique atento e busque informações na loja que está oferendo os alimentos. As feiras de orgânicos também costumam ser realizadas por cooperativas e associações de agricultores certificadas.

Roupas
Quem quiser colaborar com a preservação dos recursos naturais pode fazer a compra de roupas de segunda mão, em brechós. É uma atitude mais adequada do que comprar novas roupas de fabricantes que prometem ser sustentáveis, segundo especialistas.

Embalagens
Leia com atenção os rótulos e as embalagens dos produtos. Alimentos e produtos de limpeza merecem mais cuidados. Surgindo alguma dúvida sobre algum componente, procure o Serviço de Atendimento ao Consumidor ou envie e-mail para o fabricante.

Promessas
Cuidado com as pessoas inatingíveis. Nenhum produto causa impacto zero no meio ambiente ou deve ser considerado 100% sustentável.

Transparência
A empresa se vangloria de seus pontos positivos, mas esconde suas práticas condenáveis. Exija transparência das informações.

Essência do Negócio
Diversos setores com:  indústria de armas, agrotóxicos e de cigarros, causam muitos danos a natureza e a saúde das pessoas. Projetos ecológicos pontuais ou o argumento que geram empregos costumam ser usados para disfarçar a situação.

Fantasias
Fique atento ao uso de imagens surreais, como flores saindo de embalagens e palavras vazias como ecofriendly ou palavras verdes.

Falsa Vantagem
O exemplo mais comum é informar que a embalagem é reciclável. Quase nenhuma é de fato reciclada.

One comment

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s