Inmetro de Olho nas Aves Vendidas nos Supermercados


Avaliação metrológica reprova 60% das aves vendidas nos supermercados e análise de teor de água em peito de frango aprova todas as marcas

O Inmetro realizou uma blitz em frangos, chesters e perus vendidos nos freezers dos supermercados em cinco estados e no Distrito Federal – Amazonas, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Sergipe e em Brasília.

Os objetivos dos fiscais eram dois: primeiro, verificar se todos os frangos, chesters e perus tinham etiqueta com o peso, o que é obrigatório. A outra coisa é ver se está descontado o peso da embalagem que, na etiqueta, é chamado de tara.

Os resultados evidenciaram que a tendência metrológica dos perus, chesters e frangos disponíveis no mercado de consumo não estão de acordo  com a legislação vigente, pois  1.091, dos 1.865 dos produtos verificados,  foram reprovados o que corresponde ao índice de  58,5%  de reprovação.

As irregularidades detectadas se relacionaram à ausência de indicação quantitativa, ou seja, não informa ao consumidor a quantidade do produto que está levando para casa,  bem como o erro quantitativo,  o que leva o consumidor acreditar que está levando  a quantidade especificada no produto  quando,  de fato,  está levando outra menor.

Os supermercados com produtos reprovados foram multados, mas têm direito de contestar a autuação.

Confira os resultados:

Rio de Janeiro: 56,3% dos chesters e 35% dos perus foram reprovados. Os fiscais não encontraram frangos nos postos de venda, por isso eles não foram avaliados.

Amazonas: 13,2% dos chesters e 17,8% dos perus avaliados foram reprovados.

Brasília: foram reprovados 14,3% dos chesters, 89,4% dos frangos e 17,9% dos perus.

Rio Grande do Sul: 21,6% dos chesters, 28,7% dos frangos e 7,7% dos perus foram reprovados.

São Paulo: a reprovação atingiu 46,6% dos chesters e 52,3% dos frangos. Nenhum peru checado em São Paulo apresentou problema.

Sergipe: 57,7% dos chesters, todos os frangos e 69,5% dos perus foram reprovados.

Confira aqui o relatório completo dessa análise.

O Inmetro, em outra análise, em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, autoridade federal responsável pela regulamentação do produto, verificou o teor de água contida nos cortes de 19 (dezenove) marcas de peito de frango congelados (peito com osso e com pele e peito sem osso e sem pele), em 8 Estados – Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Pará, São Paulo, Goiás, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte.

O que motivou a análise foi o número expressivo de reclamações dos consumidores em relação à ocorrência de fraude por excesso de absorção de água em frangos. Entretanto, os resultados encontrados revelam que todas as amostras analisadas estavam conforme a legislação, que permite que a água absorvida durante a produção do frango corresponda a 6% (seis por cento) do peso total da carcaça congelada posta à venda.

Esse resultado evidencia que a intensificação das ações de combate a essa fraude econômica, feita pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal – DIPOA do MAPA, em âmbito nacional, tem trazidos resultados positivos para o consumidor.

O Inmetro ressalta que esse tipo de inspeção iniciado pelo MAPA com peito de frango já foi estendido também para outros cortes, como coxa e sobre coxa.

Confira aqui o relatório dessa análise na íntegra.

Por Bianca Reis do Portal do Consumidor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s