Inmetro testa pesos de academia


pesoacademiaO Inmetro testou halteres, caneleiras e anilhas usadas em musculação e em fisioterapia. Os resultados dos ensaios não apresentaram uniformidade, variando muito de produto para produto.

A atual preocupação com um modelo estético corporal popularizou o uso de halteres, anilhas e caneleiras, que começaram a ser vendidos também em lojas de departamentos e hipermercados.  De acordo com a Associação Brasileira de Academias – Acad, em 2012,  existiam mais de cinco milhões de pessoas matriculadas em academias no Brasil,  que é o segundo país do mundo em número de academias de ginástica, perdendo apenas pros Estados Unidos. Outro uso comum desses produtos é para fisioterapia que atua na prevenção, terapêutica e na manutenção dos órgãos e sistemas do corpo humano em função de alterações genéticas,  traumas ou doenças adquiridas.

 O alto número de sugestões e pedidos de análise para esses artigos levou o Inmetro a verificar se as massas declaradas correspondiam  às aferidas, o que é  fundamental para a prevenção de lesões musculares e problemas de saúde tanto na preparação quanto na recuperação física.

Foram avaliadas nove marcas de caneleiras, cinco de halteres e  seis marcas de anilhas, mais vendidas no mercado. Todos os produtos foram pesados em balanças de exatidão. E só poderiam apresentar até 4% de variação do valor declarado, para mais ou para menos. “Os testes são realizados fazendo uma comparação direta entre o peso padrão do Inmetro e o peso da academia”, explica Leonardo Souza, do Inmetro.

Entre as anilhas testadas, duas marcas foram reprovadas: a Fundiban e a Fundiminas. Essa última revelou ter 402 gramas a mais numa peça que prometia ter apenas cinco quilos.

Em relação as caneleiras, das nove marcas, três delas não passaram no teste da balança:  A Kiko´s, a Knockout e a Oxer.

No teste dos halteres, foram reprovadas mais uma vez as marcas Fundiban e Kiko´s, além da Fundição Santa Terezinha.

O relatório do Inmetro destaca que considerando que o uso dos halteres, caneleiras e anilhas na prática de atividade física ocorrem, normalmente, em pares, esta diferença pode representar um esforço assimétrico e, que a longo prazo, essa variação pode propiciar o aparecimento de lesões em seus usuários.  Nos casos de reabilitação ( atividades de fisioterapia), a evolução do paciente pode ficar afetada com o excesso ou com a redução da massa do produto utilizado, especialmente em relação aos exercícios  que potencializam a sua massa.

 Diante dos resultados apresentados verificou-se a necessidade de estabelecer requisitos mínimos para ser atendidos pelos fornecedores. Assim, o Inmetro estudará a viabilidade de regulamentar esses produtos de forma que sejam seguros tanto na prática de atividade física quanto na reabilitação.

Posicionamento das Empresas:

Procurados pelo Inmetro, os fabricantes das marcas Kiko´s, Fundiminas e Knockout disseram que vão se adequar aos padrões definidos neste teste.

Já a Fundição Santa Terezinha informa que encerrou suas atividades.

A Oxer afirma que já fez as modificações necessárias na sua produção.

A Fundiban disse que não fabrica mais anilhas de 5kg e que vai adequar os halteres reprovados aos critérios estabelecidos pelo Inmetro.

Confira aqui o relatório na integra.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s