Mitos e verdades sobre creme dental


Atualmente, existe no mercado brasileiro uma enorme variedade de creme dental para uso adulto e infantil.  Os diferentes tipos (pasta, creme e gel) e as

pastadedentepromessas expressas nas embalagens e nas mensagens publicitárias como, por exemplo, “12 horas de proteção”; “Dentes mais brancos”; “Hálito puro” geram muitas dúvidas sobre a veracidade da informação e tornam a escolha do produto ainda mais complicada.

Para que o consumidor possa conhecer quais os mitos e as verdades que circundam o assunto, entrevistamos a Dra. Mirian Lucca, Dentista do Trabalho, no intuito de orientar o cidadão em relação às informações divulgadas sobre dentifrícios, oferecendo subsídios para que possa fazer escolhas mais fundamentadas.

Função do creme dental na escovação, benefícios e quantidade ideal.

Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que não existe diferença entre creme dental, pasta de dente ou gel dental, além do sabor e da textura.

No que se refere à função desses produtos, a Dra. Mirian Lucca esclarece que além de tornar a escovação mais agradável e o hálito mais perfumado e refrescante, o creme/gel dental contém substâncias que inibem a ação das enzimas produzidas pelas bactérias.  Mas para que seus benefícios tenham efeitos é preciso observar alguns critérios, tais como:

1)  Fazer a escovação pelo menos 5 vezes ao dia: antes e depois do café da manhã, depois do almoço, depois do jantar e antes de deitar.
A médica destaca que escovação antes do café da manhã é fundamental para a saúde, pois durante o sono há uma proliferação maior das bactérias na região bucal, que causam o “mau hálito”. Dessa forma, se ingerimos alimentos sem removê-las estamos ingerindo também uma quantidade de bactérias nocivas e correndo o risco de desenvolver doenças gastrointestinais.  Se o indivíduo, por algum motivo,  for portador de uma doença gengival, essa situação pode ser ainda  pior, pois ele terá em sua flora bucal bactérias mais agressivas.

 2)  Não molhar a escova ao colocar o creme dental nem colocá-lo em excesso.  A médica explica que o excesso de água + o exagero de creme dental, acarreta muita espuma, diminuindo o atrito da escova com a superfície do dente, além de dificultar a visualização da escovação. “A própria saliva presente na boca é suficiente para promover à escovação e a quantidade de creme deve ser algo parecido com uma ervilha,” afirma.

3)  A escovação eficiente precisa ser realizada com uma escova macia, não deve ser vigorosa e deve durar cerca de 2 minutos, não esquecendo de nenhuma face do dente. Além disso, é preciso fazer o uso de fio dental, antes da escovação, e enxaguatórios bucais,  após a escovação.

 4) Consultar um profissional para saber qual o  produto mais adequado às suas necessidades. “Dentro da cavidade oral temos tecidos duros (dentes) e tecidos moles (gengivas e mucosas). Um creme dental que se destina a sensibilidade do esmalte (que é um tecido duro), por exemplo, pouco vai atuar nos tecidos moles, assim como um creme dental que possua uma ação anti-inflamatória para tecidos moles, não vai ter nenhum efeito sobre o esmalte”, explica.

O uso do creme dental por pessoas que usam aparelho ou que manifestem algum tipo de reação alérgica.

A Dra. Miriam comenta que, normalmente, quem usa um aparelho ortodôntico tem maior propensão a problemas gengivais, em função do favorecimento de acúmulo de placa bacteriana e resíduos alimentares. Assim, é recomendável o uso de um dentifrício que combata esse tipo de problema para manter a sua saúde bucal. “O uso de enxaguantes/colutórios também é imprescindível para complementar à higiene, uma vez que o bochecho remove placa e resíduos em locais onde a escova não alcança”, complementa.

Quando perguntada sobre a possibilidade de uma reação alérgica ao produto, a dentista explica que, embora não seja comum, observa-se que alguns indivíduos apresentam efeitos colaterais, tais como descamações na mucosa oral e sensibilidade dentária, após o uso de um determinado creme dental. Nesses casos, é preciso verificar se os sintomas estão relacionados ao uso de um novo produto e consultar um profissional para tentar ver qual componente que pode gerar essa reação. “Entretanto, não é muito simples fazer essa identificação, em função da quantidade de componentes de um produto”, explica.

A dentista ratifica a importância do uso da quantidade adequada, não exagerando na quantidade de creme dental, para evitar possíveis reações.

Promessas publicitárias e componentes funcionais

“Dentes mais brancos”

“Até o momento, o único produto que realmente promove o clareamento de esmalte é o peróxido de hidrogênio ou carbamida, mas não temos no mercado brasileiro creme dental que contenha este componente”, destaca Dra. Mirian.
Por outro lado, ela explica que alguns produtos possuem elementos mais abrasivos que conseguem remover algumas manchas superficiais e/ou agem sobre a mucosa tornando-a mais saudável e com isso temos um resultado de “branqueamento” visual dos dentes. “Quando nossa gengiva está doente, fica avermelhada e brilhante. A gengiva saudável possui coloração rosa pálido, sem brilho, com furinhos. A gengiva funciona como se fosse uma “moldura” para os dentes, quando está avermelhada, dá um tom amarelado a eles. Assim, quando melhoramos essa condição temos, automaticamente, um aspecto mais claro, mais branco”, esclarece.
A dentista é categórica: “Clareamento dentário existe, mas executado no consultório sob a supervisão de um profissional habilitado.”

A função do bicarbonato de sódio
Neutralizar os ácidos produzidos na placa dental quando ocorre exposição ao açúcar. Além disso, ele é cicatrizante em relação aos tecidos bucais.

“12 horas de proteção”
Embora possa conter princípios ativos que combatam/previnam doenças bucais, nenhum creme dental tem efeito por 12 horas.

Ela explica que mesmo escovando os dentes regularmente, ingerindo ou não alimentos, o bio-filme e, consequentemente, a placa bacteriana começa a se formar em torno de 3 minutos após sua remoção. O indivíduo que escova os dentes de maneira eficiente, por pelo menos 5 vezes ao dia, não consegue evitar a formação da placa, mas  impede  que a mesma produza  efeitos nocivos sobre o elemento dentário e tecidos moles, não dando tempo para que as doenças bucais se manifestem, complementa Dra. Miriam.

Diferença entre os produtos anticárie, antitártaro e antiplaca.
Os anticárie contém flúor.
O antitártaro contém, além do flúor, substâncias que reduzem a formação de tártaro. No entanto, o antitártaro não remove cálculo dental mecanicamente, pois esse procedimento só  é eficiente quando realizado por um dentista.
Os produtos antiplacas contêm substâncias antimicrobianas.

Abrasividade das pastas…
O abrasivo no dentifrício é fundamental para garantir a limpeza e o polimento dental. Existem dentifrícios de abrasividade baixa, média e alta. Normalmente, o desgaste e a abrasão dental estão mais relacionados com outros elementos, como o tipo de escova e as substâncias ácidas como refrigerantes ou furtas consumidas antes da escovação do que com a abrasividade das pastas de dentes.

O uso de flúor em creme dental para adulto
Hoje, estudos mostram que o flúor tópico – aquele presente em cremes dentais, enxaguatórios bucais e tratamentos com flúor –  ajuda a prevenir o aparecimento de cáries em pessoas de todas as idades. Se a água que você bebe é fluoretada, então a escovação regular com creme dental com flúor é considerada suficiente para a maioria dos adultos com dentes saudáveis.

Creme dental infantil
Dra. Miriam explica que no mercado temos cremes dentais infantis com e sem flúor. Normalmente, se recomenda o uso dos produtos sem flúor para crianças menores de 03 anos, mesmo sob a supervisão de um adulto. Ela explica, que o problema é que bebês e crianças muitas vezes ingerem o um pouco de creme dental durante a escovação e, embora isso não seja prejudicial, pode provocar vômitos e outros sintomas.

“À medida que a criança consegue fazer uma escovação “segura”, deve-se optar pelo produto com flúor, pois quanto mais jovem o esmalte do dente, maior sua capacidade de absorver o flúor e assim de seus benefícios”, ratifica a médica.

O uso do flúor tópico em crianças, é aconselhável a partir do momento em que a criança já possua coordenação suficiente para ¨cuspir ¨ o excesso de flúor durante a aplicação em consultório, que é por volta dos 3 anos de idade.

Por fim, a médica destaca, mais uma vez, a importância de não exagerar na quantidade de creme dental e informa que em torno dos 6/7 anos de idade  a criança pode usar o produto na versão adulta.

Bianca Reis
Jornalista do Diário do Consumidor

É permitida a reprodução parcial ou total deste material desde que citada a fonte.

5 comments

  1. O título dessa matéria deveria se chamar: “Mitos e verdades da grande indústria química e farmacêutica sobre a pasta, creme e gel dental”. Só há informações de interesses dessas indústrias e não há informações adicionais sobre os malefícios do uso do veneno chamado flúor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s