Compra de brinquedo requer cuidados com o bolso e com a saúde das crianças


diadacrianca2015Procon Assembleia apresenta 08 dicas para evitar que comemoração se transforme em dor de cabeça.
O Dia das Crianças se aproxima e, com ele, a correria dos adultos pelo comércio em busca de brinquedos para seus filhos, sobrinhos, netos etc. Mas, para que o presente não se transforme em um problema, alguns cuidados são necessários na hora de comprar. O Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) preparou uma lista com dez recomendações para proteger o consumidor e deixar as crianças não apenas alegres, mas também seguras.

* Defenda seu bolso: após escolher o brinquedo que vai comprar, faça uma pesquisa de preços nas lojas de sua região e até mesmo na internet. No caso de compra em sites, fique atento ao prazo de entrega prometido, para que o produto não chegue após a data desejada.

* Antes de comprar o brinquedo, fique atento à faixa etária recomendada. Produtos com peças pequenas que podem ser engolidas não são indicados para crianças com menos de três anos.

* Observe se o brinquedo que você está comprando possui o Selo de Identificação de Conformidade do Inmetro, impresso na embalagem ou no próprio brinquedo. Isso indica que o produto foi submetido a ensaios e atende a requisitos mínimos de segurança.  O selo deverá estar sempre visível ao consumidor e conter a marca do Inmetro e o logotipo do organismo que realizou a certificação do produto. Aqueles vendidos no comércio informal, como camelôs e shoppings populares, costumam ser mais baratos, mas geralmente não têm essa certificação. Isso significa que podem conter, por exemplo, substâncias tóxicas, pontas perigosas, partes cortantes ou emitirem ruído excessivo, colocando a saúde da criança em risco. Por isso, o Procon Assembleia recomenda que a compra seja feita em lojas legalmente estabelecidas.

* Supervisione o momento da abertura da embalagem. Algumas vêm com grampos metálicos, sacos plásticos ou outros materiais que devem ser recolhidos pelo adulto para evitar acidentes.

* Para os brinquedos que possuem manual de instruções, leia-o atentamente junto com a criança para que ela não tenha dúvidas em relação ao uso.

* Exija a nota fiscal. Ela é a garantia em caso de defeito do brinquedo. Mas atenção: de acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), o fornecedor tem até 30 dias para consertar o produto, só sendo obrigado a trocá-lo se não conseguir resolver o problema nesse prazo. O comércio informal não costuma emitir nota fiscal, deixando o consumidor legalmente desprotegido em caso de problemas.

* A troca sem o produto apresentar defeito é mera liberalidade do fornecedor.

*  Para as compras feitas pela internet, o prazo para desistência do negócio é de sete dias contados da data do recebimento do produto, independentemente se ele tenha defeito ou não. Nesse caso, o CDC prevê a devolução do valor total pago, corrigido monetariamente.

One comment

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s