Inmetro analisa dez marcas de azeite de oliva extravirgem


Produto comum nas ceias de Natal das famílias brasileiras, o azeite extravirgem foi submetido à análise pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), como parte do Programa de Análise de Produtos. Das dez marcas analisadas, quatro apresentaram irregularidades em ensaios que verificaram adulteração e qualidade dos azeites. “Apesar do aperfeiçoamento das regulamentações, o azeite extravirgem continua sendo alvo de muitas fraudes”, comenta o chefe da Divisão de Orientação e Incentivo à Qualidade, André Santos.

As marcas Porto Valência, Quinta d’Aldeia e Tradição não podem ser consideradas azeite extravirgem, pois os ensaios de extinção específica e de composição em ácidos graxos demonstraram haver diferenças com os limites estabelecidos na legislação, indicando adulteração dos azeites, provavelmente, por adição de outros óleos vegetais. “Além de lesar o consumidor, essa prática permite que alguns fabricantes exerçam concorrência desleal, pois minimizam os custos de produção”, completa André.

A grande concentração de ácidos graxos monoinsaturados é o maior atrativo do azeite, devido ao seu efeito benéfico à saúde. Se comparado a outros óleos, o azeite extravirgem é muito superior na quantidade dessa gordura: ela é responsável por aproximadamente 75% de sua composição, contra cerca de 30% presentes no óleo de soja, um dos mais utilizados no Brasil.

Nas três marcas reprovadas, a concentração de monoinsaturados variou ente 32 e 42%, reduzindo ou até eliminado esse efeito benéfico. Adicionalmente, a presença de mais de 1% de ômega 3 no produto denota que provavelmente houve mistura de óleo de soja ao azeite de oliva.

A marca Olitalia foi reprovada no ensaio de extinção específica, demonstrando que há um problema de qualidade com essa amostra de azeite, provavelmente, por oxidação.

Diante dos resultados apresentados, o Inmetro enviará os laudos de ensaio desta análise para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para que as medidas cabíveis possam ser tomadas.

Clique aqui e acesse o relatório completo.

5 comments

  1. Bom dia, tenho um imovel apenas a 5 anos apenas com contrato de compra e venda, precisei me mudar e aluguei a casa, com contrato de locação reconhecido firma, o inquilino ano esta pagando os alugueis, posso entrar com ação de despejo por falta de pagamento cumulado com denuncia vazia pois tive que retornar para São Paulo para resolver este assunto e estou morando de favor na casa de parentes.
    Temo que este inquilino por ser um advogado tente tomar a casa de mim, pois ainda não adentrei com o processo de usucapião apesar de que somei os 9 anos do proprietário anterior que detinha a posse estou esperando completar exatos 5 anos da compra para então entrar com o processo.
    grato
    jaime

    • Infelizmente, não tenho conhecimento suficiente sobre o tema para lhe ajudar. Conforme já expliquei para outros leitores, sou uma jornalista e não advogada especialista em direito do consumidor ou em qualquer outra área do direito. Dessa forma, meu conhecimento é bastante restrito.
      Sendo assim, sugiro que procure apoio jurídico. Você pode buscar atendimento gratuito em postos de atendimento jurídico encontrados nas universidades que possuem curso de Direito.
      Abçs
      Bianca Reis

    • Prezada,
      Não tenho essa resposta. Infelizmente, não tenho conhecimento suficiente sobre o tema para lhe ajudar.
      Abçs
      Bianca reis

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s