Está superendividado? Saiba o que pode ser feito para contornar o problema


Suas dívidas ultrapassam mais da metade do seu salário? Tem atrasado o pagamento de suas contas básicas? Fique atento, pois você pode estar superendividado.

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor,19,8% das famílias apontaram ter contas a pagar que comprometem mais da metade da renda mensal, sendo consideradas superendividadas.

Facilidades para parcelar compras e o crédito fácil levaram muitas pessoas a contrair dívidas que ultrapassam a sua real capacidade financeira de consumo, gerando um descontrole financeiro. Quem já viveu essa experiência sabe como é difícil contornar a situação e zerar o saldo devedor. Por conta disso, o Portal do Consumidor selecionou cinco dicas baseadas no Boletim Informativo do Procon-SP para ajudar os endividados a sair do vermelho.

Reconheça que está superendividado:

O primeiro passo é justamente reconhecer que gastou muito além do que deveria. Muitos consumidores não percebem a gravidade do problema e acabam contraindo novas dívidas. Dessa forma, é preciso adequar seus gastos ao valor do seu salário, efetuando primeiramente o pagamento das despesas domésticas, como água, luz, aluguel, entre outras.

Evite compras desnecessárias:

Ao longo do mês faça uma lista com o que realmente necessita, começando pelos itens de maior necessidade até os de menor importância. Ao comprar algo, pense se realmente precisa do item.

É importante ter cuidado com armadilhas do tipo “compre agora e pague daqui a 3 meses”. Pode ser que, quando todas as contas chegarem, você não tenha como pagá-las.

Opte por pagamentos à vista:

Evite ao máximo fazer compras utilizando cartões de crédito. Adquira o hábito de pagar à vista. O aconselhável é guardar o cartão de crédito em casa, para não utilizá-lo. Busque as lojas que dão desconto para os consumidores que compram em dinheiro.

Reserve uma parte do salário para qualquer imprevisto:

Mesmo em uma situação de superendividamento, é recomendável fazer uma reserva de um valor mensal do seu salário para gastos com qualquer imprevisto que possa aparecer. Vale lembrar, que esse dinheiro deve ser gasto apenas com emergências, sendo reposto na primeira oportunidade.

Renegocie suas dívidas:

Faça um cálculo para saber qual o valor poderá ser destinado para renegociar suas dívidas. Caso verifique que não será possível arcar com as parcelas propostas, não aceite a negociação, pois isso poderá lhe causar prejuízos ainda maiores. Mesmo que você fique negativado com alguns credores é importante pensar que as dívidas serão pagas aos poucos, com planejamento, jamais com o comprometimento do seu sustento e o de sua família.

Se desesperar não resolve o problema. Faça tudo o que for possível, no tempo necessário, evitando ao máximo contrair novas dívidas. Foco, organização e planejamento integram o melhor caminho para sair dessa situação de endividamento. Só será possível readquirir o controle financeiro e eliminar o superendividamento com calma e paciência.

Dicas para evitar acidentes domésticos


acidentedomestico2015Atento ao período de férias escolares, o Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso, órgão delegado do Inmetro, promoveu no final do mês de junho uma grande campanha que tinha como objetivo a prevenção e a orientação de acidentes domésticos no Estado.  Para apoiar as atividades e disseminar informações importantes sobre o tema, elaborou uma cartilha eletrônica destacando os principais cuidados que os pais devem ter dentro de casa.

De acordo com dados do material educativo, os acidentes domésticos são responsáveis por um grande número de mortes de crianças no Brasil e no mundo. “Segundo o Ministério da Saúde, a cada ano são registradas 6 mil mortes e mais de 140 mil internações na rede pública de crianças abaixo de 14 anos, vítimas desse tipo de acidente”.

O perigo pode estar em todo  lugar, desde utensílios domésticos até mesmo nos próprios brinquedos. A boa notícia é que a maior parte dos acidentes pode ser evitada a partir de mudanças simples dentro e fora de casa.  Sendo assim, destacamos os principais cuidados recomendados pelo Instituto.

acidentedomestico2015-2

Cozinha:

  • Não deixar as crianças nesse local enquanto algum adulto estiver cozinhando;
  • Deixar o cabo da panela virada para o centro do fogão;
  • Guardar em um local fora do alcance das crianças fósforos e isqueiros,
  • O gás deve estar fora da casa e ter válvula de segurança;
  • Facas, garfos, tesouras e outros objetos pontiagudos devem ser guardados fora do alcance das crianças. Os mesmos cuidados devem ser tomados com travessas, pratos e copos.
  • Detergente e sabão devem ser guardados longe do alcance das crianças;
  • Manter o lixo sempre fechado.

Banheiro:

  • O piso deve ser antiderrapante para não ser escorregadio;
  • Não deixar que crianças pendurem-se no vaso e na pia;
  • Guardar lâminas de barbear em lugares que as crianças não mexam;
  • Guardar perfumes, desodorantes e cosméticos fora do alcance das crianças;
  • Os remédios devem ser guardados em lugares trancados;
  • Vigiar as crianças menores no banho e deixar a tampa do vaso sanitário fechada para evitar afogamentos;
  • Tome cuidado com a temperatura da água na hora do banho;
  • Não deixe bebês sozinhos na banheira ou no chuveiro.

Lavanderia e área de serviço:

  • Guardar produtos de limpeza, raticidas, inseticidas, álcool, ceras, fertilizantes e outros produtos tampados em armários altos e trancados.
  • Não colocar produtos de limpeza em outros frascos, como os de refrigerante, pois podem ser confundidos pelas crianças;
  • Não deixar que as crianças fiquem perto da máquina quando ela está ligada;
  • Não deixar baldes com água, para prevenir afogamentos;
  • O ferro de passar roupa deve ser mantido longe do alcance das crianças.

Acidentes elétricos:

  • Use protetores especiais nas tomadas, para evitar que as crianças coloquem as mãos e outros objetos na tomada;
  • Deixe aparelhos desligados, quando não estão sendo usados;
  • Mantenha os fios dos aparelhos eletrônicos com comprimento suficiente para alcançar as tomadas, sem muita sobra;
  • Instale os aparelhos eletrônicos sobre móveis firmes, para que as crianças não consigam puxar.

Escadas Portas e Janelas: 

  • Instalar corrimãos nos dois lados das escadas;
  • Instalar grades na entrada e na saída da escada;
  • Colocar grades e telas de proteção nas janelas, sacadas e piscinas;
  • Portas de vidro devem ser sinalizadas;
  • Instalar fixadores nas portas.

 Brinquedos: 

  • Verifique se o brinquedo tem o Selo de Identificação de Conformidade do Inmetro, impresso na embalagem ou no próprio brinquedo. O selo deverá estar sempre visível ao consumidor e conter a marca do Inmetro e o logotipo do organismo que realizou a certificação o produto.
  • Cuidado com peças pequenas e que podem eventualmente ser engolidas;
  • Guarde os brinquedos em lugares arejados, para evitar alergias;
  • Não use andadores, as crianças podem cair em escadas ou em qualquer desnível que tiver, causando graves acidentes.

Camas e berços:

  • Os berços devem estar de acordo com as normas do Inmetro;
  • Não se deve deixar bebês sozinhos na cama;
  • Os cobertores e lençóis devem estar presos ao colchão, evitando a asfixia;
  • Evite o uso de camas beliche, pois podem causar sérias quedas.

Alimentos:

  • Não dê balas duras e chicletes para uma criança muito pequena;
  • Retire o caroço antes de dar a fruta para uma criança comer;
  • Cuidado com ossos de galinha e com as espinhas de peixe.

Para mais informações,  acesse aqui a cartilha na íntegra.

Golpe envolvendo sites de compras coletivas: saiba como evitar!


Nas últimas semanas, muito se falou sobre os golpes praticados contra os consumidores na internet. De acordo com o levantamento da Delegacia de Repressão aos Crimes Eletrônicos, em dados comparados até o mês de abril deste ano, o número de ocorrências relativas a esses crimes aumentou em 12% comparado ao ano de 2014. Os sites de compras coletivas estão inseridos nessa estatística, sendo um dos mais usados para a prática de golpes no comércio eletrônico.

Assim, os consumidores que buscam promoções na internet devem ficar atentos aos golpes que estão circulando, um dos artifícios usados é a criação de sites falsos que são utilizados para anunciar produtos nas páginas de compras coletivas, conseguindo atingir um grande número de vítimas que, após efetuarem o pagamento, não recebem os itens ou serviços.

Visando orientar os consumidores para evitar que caiam nesse tipo de armadilha, o Portal do Consumidor, baseado na Cartilha de Segurança para Internet do Cert.br, reuniu os principais cuidados que devem ser tomados na hora de efetuar compras em grupo na web.

A primeira recomendação é evitar a tentação de comprar rapidamente para não perder as ofertas no tempo estipulado, ficando atento aos cuidados que listamos abaixo para não cair em golpes desse tipo.

  • Busque sempre opinião de amigos e familiares que já realizaram qualquer compra na loja virtual que está oferecendo o produto ou serviço. Outra opção é procurar na internet opiniões de outros consumidores em sites especializados em tratar reclamações de clientes insatisfeitos com as lojas;
  • Faça uma pesquisa sobre o valor de mercado do produto. Se a oferta for muito inferior ao anunciado por outros sites, desconfie;
  • Antes de efetuar a compra, procure saber o endereço e o telefone do anunciante, ligue para o número de contato informado no site e busque na internet informações sobre o CNPJ da loja.

Mesmo após todos esses cuidados, caso caia nas armadilhas dos golpistas, entre em contato com os responsáveis pelo site de compras coletivas, cobrando uma solução, já que, de acordo com o CDC, o site de venda coletiva tem responsabilidade solidária caso o consumidor tenha sido lesado. Não conseguindo resolver o problema, procure o Procon mais próximo de sua residência.

Está endividado? Veja algumas dicas para administrar melhor seu orçamento.


EducfinanceiraSegundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) realizada pela Confederação Nacional do Comércio – CNC, o percentual de famílias que relataram ter dívidas entre cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguros subiu de 59,6% em março para 61,6% em abril deste ano. Mas ficou abaixo do patamar do mesmo período de 2014, quando a taxa era 62,3%.  Acompanhando a alta do percentual de famílias endividadas, a proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso também aumentou na comparação mensal, passando de 17,9%, em março, para 19,7% do total em abril de 2015.

O cartão de crédito foi apontado como um dos principais tipos de dívida por 75,0% das famílias endividadas, seguido por carnês, para 16,9%, e, em terceiro, por financiamento de carro, para 14,0%.

Utilizar o cartão de crédito para pagar todas as contas pode ser muito cômodo e trazer alguns benefícios em função dos programas de fidelização e acúmulo de pontos, mas é essencial ter cautela para não perder o controle, principalmente quando o usuário possui mais de um carão e faz uso frequente do parcelamento das compras. O consumidor que possui gastos mensais fixos como, por exemplo, aluguel, alimentação, financiamentos, entre outros, deve ficar ainda mais atento na hora de assumir novas dívidas para evitar a inadimplência.

Há um consenso entre os especialistas que o planejamento do orçamento familiar é a melhor maneira de organizar os gastos e evitar o endividamento. Dessa forma, é aconselhável que o consumidor liste em uma planilha todas as despesas fixas, dívidas temporárias e a renda mensal que recebe, além de registrar, diariamente, todos os gatos para acompanhar e gerenciar melhor as despesas. Só assim, poderá saber qual é a sua condição financeira real para assumir ou não mais gastos.

Se você tem dificuldade em usar esse tipo de ferramenta, não se preocupe, pois na internet existem várias instituições que oferecem, gratuitamente, planilhas prontas para os mais variados perfis de consumidores.  Para ajudá-lo nessa tarefa listamos algumas dicas:

Planilha de Planejamento doméstico do Idec: as despesas são registradas  pelo histórico, todas as contas são codificadas e direcionadas para os respectivos grupos automaticamente.  A ferramenta oferece critério para registro de compras com cartão de crédito à vista e parcelado, indicando o comprometimento de renda futura e possui uma planilha exclusiva para compras parceladas no cartão de crédito.

Guia de bolso:  se conecta com suas contas bancárias e cartões de crédito e débito. Você planeja o quanto quer gastar em cada categoria e a ferramenta atualiza automaticamente seus gastos diários, mostra quanto você já gastou e quanto ainda pode gastar para se manter no seu plano. Além disso, faz um diagnóstico sobre a situação financeira do usuário classificando-a em 04 modalidades: em apuros, no limite, poupador e investidor.

 Planilha BM&FBovespa:  reúne em uma única aba do Excel o orçamento de todos os meses do ano. O documento possui um quadro de anotações para investimentos e classifica as despesas em quatro tipos, possibilitando melhor organização dos gastos: fixas (aquelas que têm o montante mensal); variáveis (aquelas que acontecem todos os meses, mas que podemos tentar reduzir); extras (são as extraordinárias, mas que devemos estar preparando para quando acontecerem); e, adicionais (que são aquelas que não precisam acontecer todo mês).

Hábil Pessoal + Veículos:  um software que permite o uso por mais de um membro da família e a utilização em rede.  Oferece opção de controle das contas bancárias, cartões de crédito, além de agenda de contatos e compromissos.  A ferramenta é uma boa opção para o consumidor que possui veículo, registrando gastos com viagens, manutenções pendentes, gráficos, média de km/litro de combustível.  Tem suporte técnico gratuito.

FinanceDesktop: o software possibilita o armazenamento de  todos os seus extratos de banco em formato digital, tem uma ferramenta de imposto de renda para apurar sua tributação em investimentos em ações, agilizando a sua declaração anual, além de um gerenciador de Fundos e  relatórios e gráficos,  permitindo  melhor visualização do que acontece com o seu dinheiro.

É permitida a reprodução parcial ou total deste material desde que citada a fonte.

 

Sete passos para evitar dor de cabeça em estacionamentos


estacionamento

Deixar seu veículo em um estacionamento nem sempre significa que ele está seguro, por isso é bom o cliente ficar atento e tomar alguns cuidados para evitar dores de cabeça. Sendo assim, listamos sete passos para ajudar a preservar a segurança do veículo e evitar danos ao seu bolso.
1) Verifique, antes de estacionar, se o estabelecimento tem placa de filiação em  sindicato do setor ou se local possui seguro contra sinistros, que são indícios de  mais comprometimento no atendimento e garantem o ressarcimento em caso de comprovação do roubo em um estacionamento. Busque sempre lugares que tenha  um serviço de estacionamento sério, se desconfiar da credibilidade do estabelecimento não pare.

2) Evite deixar bens dentro do veículo na hora de estacionar. Caso seja inevitável, avise ao estabelecimento e verifique se há guarda-volumes ou outro procedimento no qual possa documentar a entrada. Assim, em caso de desaparecimento comprovado de algum bem, o estabelecimento poderá ser responsabilizado.

3)  Em caso de que qualquer tipo de dano ou roubo do automóvel, a responsabilidade exclusiva é do estacionamento ou, se for o caso, do estabelecimento comercial que oferece o serviço como bancos, supermercados ou shoppings, mesmo que o seja gratuito para o usuário.

4)  Guarde o ticket com atenção, pois o seu extravio, pode gerar procedimentos administrativos demorados até que o veículo seja liberado.

5) Ajude a recepcionista, caso não se trate de ingresso automático, a identificar arranhados e amassados pré-existentes.

6)   Se utilizar o serviço de manobrista profissional  que recebe, guarda e busca o veículo para o cliente, pergunte em que local o veículo será estacionado e leia com atenção o nome do manobrista que está fazendo o atendimento.  Exija o comprovante de entrega do veículo, que deve conter a descrição do automóvel, horários de parada e retirada.

7) Por fim, respeitar sempre as vagas preferenciais para idosos e pessoas com deficiência.